O mundo quer um Titanic II? Este multimilionário acha que sim

CNN , Hilary Whiteman
12 mai, 16:00
Titanic II (Blue Star Line via CNN)

O novo Titanic vai ter capacidade para 2.345 passageiros divididos em 835 cabines. Os passageiros da terceira classe vão ser tratados com guisado e puré de batata em mesas compridas numa sala de jantar comum - tal como acontecia no barco original

Durante mais de uma década, o multimilionário australiano Clive Palmer tem sido a força motriz por detrás dos planos de construção do Titanic II - uma réplica do fatídico navio que se afundou em 1912 com mais de 2.200 pessoas a bordo.

Apenas cerca de 700 sobreviveram, tornando-se na viagem mais desastrosa do mundo.

Mais de um século após o naufrágio do Titanic, o mundo continua a ser atraído pela sua história.

A tragédia inspirou o êxito de bilheteira “Titanic”, de James Cameron, vencedor de um Óscar em 1997, protagonizado por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet, e há décadas que fascina os exploradores amadores.

Uma dessas missões terminou em tragédia em junho do ano passado, quando todos os cinco passageiros a bordo do submersível Titan morreram depois de a embarcação ter sofrido uma implosão catastrófica a caminho dos destroços.

Seis anos depois, Palmer relançou o projeto durante uma recente conferência de imprensa na Ópera de Sydney, tendo como pano de fundo o famoso porto da cidade.

A questão é: porquê?

“É muito mais divertido fazer o Titanic do que ficar em casa a contar o meu dinheiro”, afirmou Palmer aos meios de comunicação locais.

Palmer, que fez fortuna com a exploração mineira, não se deixa intimidar pela série de desastres do Titanic. Lançou os primeiros planos para o Titanic II em 2012, e novamente em 2018, mas os planos foram postos de lado durante a epidemia de Covid.

A réplica do navio de cruzeiro condenado terá uma grande escadaria, de acordo com os planos vistos numa animação (Cortesia da Blue Star Line)

Quando anunciou o seu sonho de construir uma versão mais flutuante do Titanic há mais de uma década, a opinião popular era de que era suficientemente rico e excêntrico para o fazer.

Mas os ventos contrários da pandemia chegaram e o projeto multimilionário foi suspenso quando os portos fecharam e os passageiros reavaliaram o seu apetite pelo risco de ficarem em quarentena no mar.

Agora que a pandemia passou e os navios de cruzeiro estão de novo no mar, Palmer, que é presidente da empresa Blue Star Line, que está por detrás do projeto, garante que é o momento certo para reavivar o seu sonho do Titanic.

“Estamos muito satisfeitos por anunciar que, após atrasos imprevistos a nível mundial, voltámos a reunir-nos com os nossos parceiros para dar vida ao sonho do Titanic ll. Que comece a viagem", afirma Palmer, num comunicado de imprensa.

Uma representação animada da sala de jantar de terceira classe do Titanic II, onde os hóspedes podem pedir guisado e puré (Cortesia da Blue Star Line)

A Blue Star está a solicitar propostas e planeia confirmar um construtor naval até ao final do ano, para começar a trabalhar no primeiro trimestre de 2025.

Neste momento, Palmer espera que os vencedores da licitação estejam sediados na Europa. Não acredita que os padrões chineses estejam à altura da tarefa, disse aos jornalistas.

No relançamento, a sua equipa divulgou um vídeo de oito minutos, que mostrava a disposição do navio e o aspeto de cada quarto, finalizado com atores vestidos com trajes da época.

Os passageiros serão encorajados a vestir-se para os anos 90, mas não é obrigatório, explica um porta-voz.

O navio em si terá 269 metros de comprimento e 32,2 metros de largura - ligeiramente mais largo do que o original. A capacidade será de 2.345 passageiros distribuídos por nove conveses com 835 cabines. Quase metade destas vão ser reservadas para passageiros de primeira classe.

Os passageiros da terceira classe vão ser tratados com guisado e puré de batata em mesas compridas numa sala de jantar comum - tal como acontecia no barco original - embora um porta-voz tenha dito que também estarão disponíveis outras refeições para aqueles que queiram uma experiência menos autêntica.

A cena clássica de “Titanic”, protagonizada por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet. Sobre Titanic II, Clive Palmer diz que será o “navio da paz” (Paramount Pictures)

Palmer quer reproduzir o Titanic - sem o final trágico. E acredita que o facto de aproveitar o fascínio do mundo pelo navio de luxo vai de alguma forma aproximar as pessoas.

“Todos nós sabemos como fazer a guerra. Arranjamos exércitos e financiamos guerras. As pessoas sabem disso. Mas é muito mais difícil fazer a paz. Para fazer a paz temos de nos esforçar todos os dias. Progredir centímetro a centímetro", afirma, no comunicado de imprensa.

“O Titanic ll é algo que pode proporcionar paz. Pode ser um navio de paz entre todos os países do mundo.”

Mundo

Mais Mundo

Mais Lidas

Patrocinados