Impressionantes novas imagens em 8K mostram o Titanic como nunca foi visto

CNN , Maureen O'Hare
11 set, 12:55
Impressionantes novas imagens em 8K mostram o Titanic como nunca foi visto (CNN Internacional)

Foram divulgadas novas imagens que mostram os destroços do RMS Titanic como nunca foi visto: em qualidade 8K, a maior resolução disponível atualmente. 

É uma resolução horizontal de 8000 pixéis, ou seja, duas vezes mais nítida do que um televisor 4K. E isso significa que há um nível sem precedentes de pormenores e cores nesta mais recente exploração ao naufrágio com 110 anos. 

O vídeo foi captado pela OceanGate Expeditions na visita que fez em 2022 ao local, que se situa a 3,8 quilómetros abaixo da superfície do Atlântico Norte, a cerca de 400 milhas náuticas da Terra Nova, no Canadá. 

A OceanGate realiza expedições ao local do naufrágio do Titanic com equipas de especialistas em mergulho em submersíveis, historiadores do Titanic e cientistas de investigação, ao lado de civis “especialistas em missão” que pagam 250 mil dólares pelo privilégio de ser uma das poucas pessoas a ter visto em primeira mão o local de descanso final do lendário navio. 

“Os pormenores surpreendentes nas imagens de 8K ajudarão a nossa equipa de cientistas e de arqueólogos marinhos a caracterizar a deterioração do Titanic com mais precisão, à medida que vamos captando novas imagens em 2023 e além”, disse Stockton Rush, presidente da OceanGate Expeditions, num comunicado à imprensa. Ainda mais notável, acrescentou, são “as cores fenomenais”. 

Clareza nunca antes vista 

O vídeo recém-divulgado começa com uma panorâmica da proa do Titanic, que foi a primeira a afundar depois de o transatlântico britânico ter batido num icebergue na noite de 15 de abril de 1912. 

As características do navio, como o nome do fabricante de âncoras, Noah Hingley & Sons Ltd, na âncora a bombordo, são agora visíveis. “Há décadas que estudo este naufrágio e completei vários mergulhos, mas não me lembro de ter visto nenhuma outra imagem com este nível de pormenor”, disse no comunicado Rory Golden, especialista no Titanic da OceanGate Expeditions e mergulhador veterano do Titanic. 

As luzes verdes vistas na âncora a bombordo, enquanto a câmara se move, são do sistema de medição a laser, explicou Paul Henry Nargeolet, um veterano piloto do submersível Nautile e mergulhador do Titanic. “Esse sistema permite-nos determinar com precisão o tamanho dos objetos [...] A distância entre as duas luzes verdes é de 10 centímetros.” 

O submersível para cinco pessoas chamado Titan faz a sua descida em 2021

“No início do vídeo, podemos ver o guindaste usado para lançar a enorme âncora de 15 toneladas ainda localizada no convés do naufrágio e a manilha que estava originalmente presa ao mastro principal e que agora desmoronou”, explicou Nargelot. 

Mais à frente no vídeo, vemos três estruturas redondas ao longo do parapeito interno. Segundo Nargelot, são as guias dos cabos de onde outrora saíam as espias que se prendiam aos cabeços em terra para proteger o navio de 269 metros, quando estava no porto. 

O vídeo também mostra o primeiro dos dois cascos do Titanic, a enorme corrente da âncora (cada elo pesa cerca de 90 kg), o primeiro dos seis porões de carga do Titanic e os cabrestantes de bronze sólido do navio. 

Dano silencioso 

Há também evidências substanciais de deterioração no local onde parte da amurada do navio caiu e desapareceu. 

“Uma das sequências mais incríveis mostra uma das caldeiras simples que caiu no fundo do oceano quando o Titanic se partiu em dois. Sobretudo porque foi uma das caldeiras simples que foi vista pela primeira vez quando os destroços do Titanic foram identificados em 1985”, disse Golden. 

“Ao compararmos os vídeos e as imagens da [nossa expedição de 2021], vemos pequenas mudanças em certas zonas do naufrágio”, disse Rush. “A nossa equipa científica vai rever as imagens em 8K, 4K e outras imagens captadas durante a Expedição Titanic de 2022, para detetar quaisquer alterações.” 

Os extraordinários destroços estão a deteriorar-se rapidamente. A água salgada e a pressão no mar têm, silenciosamente, causado danos ao longo do último século, enquanto os micróbios corroem o casco de aço, criando milhares de “rusticles” - aquelas formações oxidadas verde-alaranjadas que pendem do Titanic como milhares de pingentes de gelo. Algumas estimativas dizem que o navio desaparecerá numa questão de décadas. 

O espaço é apertado dentro do Titan. 

A OceanGate Expeditions espera que as novas imagens ajudem a determinar a taxa atual de deterioração do transatlântico, e que futuras expedições captem mais imagens que possam ser comparadas ano após ano. 

O vídeo também deve ajudar os cientistas a identificar espécies que são observadas dentro e ao redor do Titanic, enquanto os arqueólogos poderão documentar o local do naufrágio e o campo de destroços com mais pormenor. 

Estão abertas as vagas para a expedição de 2023, que partirá da Terra Nova em maio do próximo ano. Aqueles que partirem para as profundezas farão parte de um grupo de apenas duzentas ou trezentas pessoas que fizeram a viagem - menos do que as que viajaram para o espaço. 

Os candidatos à missão de 10 dias (dos quais oito serão passados no mar) podem entrar em contacto com a OceanGate para discutir as habilitações, a disponibilidade e o tal preço de um quarto de milhão de dólares. 

Viagens

Mais Viagens

Na SELFIE

Patrocinados