Saiba tudo sobre o Euro aqui

Sabia que ia ser despedido e deixou uma nota aos pais antes do massacre. Quem era o autor do tiroteio de Louisville?

CNN Portugal , MCP
11 abr 2023, 12:57
connor sturgeon (linkedin)

Connor Sturgeon trabalhava no banco de Lousiville, onde esta segunda-feira matou cinco pessoas e deixou oito feridos

Nesta segunda-feira, um tiroteio em massa assombrou a cidade de Louisville, no estado do Kentucky. O confronto começou no Old National Bank, na East Main Street, pouco depois das 8h30, cerca de 30 minutos antes de o banco abrir ao público, de acordo com a CNN Internacional. Aconteceu durante uma reunião matinal de funcionários, uns a marcar presença fisicamente e outros virtualmente, como conta Rebecca Buchheit-Sims, gerente do banco, à CNN Internacional.

A polícia não demorou muito. Chegaram ao banco três minutos depois de receberem o alerta e descobriram que o atirador ainda estava a atacar. Connor Sturgeon, o autor do massacre, acabou por morrer com os disparos trocados com a polícia.

Afinal, quem era Connor Sturgeon?

Connor Sturgeon tinha 25 anos e era um dos funcionários do banco. Pelo que a CNN Internacional conseguiu apurar, ele sabia que seria despedido e escreveu uma mensagem para os seus pais e um amigo, antes de ir para o trabalho na manhã de segunda-feira e de abrir fogo - matando cinco pessoas e ferindo outras oito. Ainda não se sabe se essas mensagens foram vistas antes ou depois do incidente.

O jovem trabalhava naquele banco há mais de um ano, mas, segundo o seu perfil no Linkedin, já tinha estagiado três verões consecutivos, entre 2018 e 2020, antes de ser contratado definitivamente em 2021.

O caso choca muitos, mas sobretudo quem o conhecia. Connor Sturgeon não tinha “red flags”, pelo menos que se tivessem identificado até ao momento do ataque. 

Durante a sua infância, jogou basquetebol, fez atletismo escolar, recebeu uma bolsa de estudos de mérito nacional em 2015 e formou-se na Universidade do Alabama em dezembro de 2020, depois de obter a sua licenciatura e mestrado em Finanças, disse o porta-voz da universidade, Shane Dorrill.

Um ex-colega de escola de Sturgeon, que o conhecia, assim como a sua família, disse que nunca viu nenhum “tipo de red flag ou sinal de que isto poderia acontecer”.

“É um choque total. Ele era um rapaz muito bom e que veio de uma família muito boa”, elogia o colega, que pediu para não ser identificado, acrescentando não ter falado com Sturgeon nos últimos anos. “Eu não posso nem dizer o quanto isso não faz sentido. Eu não posso acreditar”.

“A minha autoestima tem sido um problema há muito tempo”

No entanto, num trabalho de 2018 publicado no site CourseHero, por um utilizador identificado como Connor Sturgeon, da Universidade do Alabama, o estudante tinha escrito sobre ter problemas em enquadrar-se na escola.

“A minha autoestima tem sido um problema há muito tempo”, pôde ler-se. “Fazer amigos nunca foi especialmente fácil, pelo que tenho mais experiência do que a maioria em operar sozinho.”, desabafa.

O autor escreveu que na faculdade começou “a amadurecer socialmente". "Estou a começar a ver melhorias nessa área", dizia, esperando “ser mais autoconsciente e tornar-me numa pessoa melhor”.

A chefe da polícia metropolitana de Louisville, Jacquelyn Gwinn-Villaroel, disse que o jovem não teve “nenhum envolvimento anterior” com a polícia. 
 

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados