Três pessoas morreram e seis ficaram feridas em tiroteio numa escola dos Estados Unidos

Agência Lusa , CE
24 out, 18:55

Alguns alunos foram obrigados a barricar as portas das salas, outros a esconderem-se e outros ainda a fugirem das instalações do estabelecimento de ensino

Três pessoas morreram e outras seis ficaram feridas durante um tiroteio esta manhã numa escola em St. Louis, no estado do Missouri, nos EUA, informaram as autoridades policiais.

Uma mulher adulta, uma adolescente e um homem de cerca de 20 anos, suspeito de ter sido o atirador, foram as vítimas mortais, de acordo com o comissário de polícia de St. Louis, Michael Sack.

O tiroteio aconteceu ao início da manhã numa escola de Artes Visuais e Performativas em St. Louis, levando alguns alunos a barricar as portas das salas, outros a esconderem-se e outros ainda a fugirem das instalações do estabelecimento de ensino, onde estudam cerca de 400 pessoas.

Poucos minutos depois do ataque, dezenas de veículos da polícia responderam a pedidos de ajuda, tendo havido uma troca de tiros com o atacante.

Segundo relatos de testemunhas, o suspeito foi “rapidamente detetado” pela polícia, que acabou por o abater durante uma troca de tiros nas instalações da escola.

As autoridades confirmaram que após a morte do suspeito pelo ataque, deixou de haver “ameaça imediata” na escola, não explicando a motivação do ataque.

As seis pessoas com ferimentos, que foram hospitalizadas, incluem uma que sofreu um ataque cardíaco e outras que sofreram ferimentos de bala ou estilhaços.

Uma estudante, Taniya Gholston, de 16 anos, disse ao jornal St. Louis Post-Dispatch que estava no interior de uma sala quando o atirador entrou.

“Tudo o que ouvi foram dois tiros e ele entrou lá com uma arma. Eu tentei correr, mas não consegui. Tivemos contacto visual, mas consegui salvar-me porque a arma dele emperrou. Mas vi sangue no chão”, disse Gholston.

Uma outra aluna, Nylah Jones, disse que estava num aula quando o atirador disparou contra a sala, a partir do corredor, não tendo sido capaz de entrar porque os alunos barraram a porta.

A polícia chegou ao local do ataque poucos minutos após o início do ataque, tendo sido rápida a capturar o suspeito, depois de ter cercado as instalações com dezenas de veículos.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados