Texas cria mais postos de controlo de pesados depois da morte de 53 migrantes em atrelado

Agência Lusa , AM
30 jun, 06:55
Pelo menos 46 pessoas encontradas mortas dentro de camião no Texas (Foto: AP/Eric Gay)

Postos de controlo vão integrar a operação "Lone Star", implementada no ano passado pelo governador do Texas para reforçar a segurança da fronteira com o México

O governador do estado norte-americano do Texas ordenou o estabelecimento de mais pontos de controlo de pesados, depois de 53 pessoas terem morrido num atrelado de um camião em San Antonio, na segunda-feira.

Na quarta-feira, numa conferência de imprensa realizada na fronteira de Eagle Pass, Greg Abbott anunciou que o Departamento de Segurança Pública do Texas (DPS, na sigla em inglês) vai implementar os novos pontos de inspeção.

Os agentes do DPS “vão começar a apontar para camiões [de carga] como o que foi usado, onde as pessoas morreram”, usando equipas treinadas ao longo dos corredores já conhecidos de contrabando de migrantes para os Estados Unidos, acrescentou o republicano.

Os postos de controlo vão integrar a operação "Lone Star", implementada no ano passado pelo governador do Texas para reforçar a segurança da fronteira com o México.

O anúncio de Abbott surge depois de investigações terem mostrado que o camião encontrado em San Antonio passou em pelo menos dois pontos de inspeção ao entrar nos Estado Unidos.

O camião, com mais de 60 migrantes trancado no atrelado, com temperaturas a rondar 40º Celsius, tinha documentos falsos de uma empresa de carga do Texas.

O comissário do Instituto Nacional de Migração do México, Francisco Garduño, disse na quarta-feira que o veículo passou pela fronteira, onde foi capturado por câmaras de segurança às 14h50 (19h50 em Lisboa) de segunda-feira em Encinal, no Texas.

Isso sugere que os migrantes estiveram trancados no atrelado durante várias horas.

As forças de patrulha da fronteira “não têm recursos para poder inspecionar todos os camiões e, como resultado, não tiveram capacidade para salvar essas vidas”, lamentou Abbott.

O motorista, identificado por funcionários do governo mexicano como Homero Zamorano, foi detido quando tentava fazer-se passar por um dos migrantes, de acordo com o Serviço de Imigração e Alfândega norte-americano.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados