Condutor perde controlo sobre carro da Tesla e mata duas pessoas na China

14 nov, 09:57

Tesla já se prontificou a colaborar com as autoridades, mas insiste que o condutor não terá pisado os travões durante todo o percurso

Duas pessoas morreram e três ficaram feridas este domingo na província de Cantão, na China, após o condutor de um carro da Tesla ter perdido o controlo sobre a viatura. 

O condutor estaria a tentar estacionar o automóvel, um Tesla Model Y, quando acelerou subitamente e conduziu por mais de dois quilómetros a alta velocidade, atingindo várias pessoas enquanto alternava entre as duas faixas da estrada. O carro só parou quando colidiu contra uma loja. 

De acordo com a Reuters, as duas vítimas mortais foram um motociclista e uma rapariga adolescente. O condutor, um homem de 55 anos, terá sobrevivido. 

O momento do incidente foi captado pelas câmaras de vigilância locais e não tardou a circular pelas redes sociais, onde se multiplicam diferentes teorias sobre o que poderá ter acontecido. 

A causa do incidente ainda está por apurar, mas um familiar do condutor, que preferiu não se identificar, explicou que o travão terá deixado de responder quando o homem estava prestes a estacionar em frente à loja gerida pela família. 

A Tesla já reagiu, prontificando-se a ajudar a polícia chinesa a investigar as circunstâncias do acidente. A empresa destacou, no entanto, que os dados recolhidos não revelaram qualquer ação por parte do condutor no sentido de travar o carro e pisar os travões durante todo o percurso - afirmação aparentemente sustentada pelo vídeo que circula online, em que as luzes de travagem permanecem apagadas. 

Esta não é a primeira vez que um carro elétrico de marca Tesla enfrenta acusações de funcionamento errático. O ano passado, uma mulher foi notícia na China por ter invadido um salão de automóveis em Xangai e subido para cima de um carro da Tesla com uma camisa em que se liam as palavras "os travões não funcionaram". 

Na altura, a Tesla contrapôs que os problemas do carro em questão se teriam devido a excesso de velocidade por parte da condutora, mas comprometeu-se a responder de forma mais adequada - e célere - às queixas dos clientes.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados