Serena Williams vai terminar carreira: «Se fosse homem, não estaria a escrever isto»

9 ago, 15:23
Serena Williams (Christopher Katsarov/The Canadian Press via AP)

Tenista de 41 anos, considerada por muitos a melhor de todos os tempos, quer engravidar e prosseguir com os negócios

A tenista Serena Williams vai dizer adeus em breve aos «courts». Num testemunho arrebatador publicado na revista Vogue, a norte-americana confessa que, aos 41 anos, quer tentar ter outro filho e dedicar-se a outras atividades.

Serena revelou que a filha Olympia, de quase cinco anos, pediu para ser «irmã mais velha». «Eu nunca quis ter de escolher entre o ténis e uma família. Não acho justo. Se eu fosse um homem, não estaria a escrever isto porque estaria a jogar e a ganhar enquanto a minha esposa fazia o trabalho de expandir a nossa família. Talvez eu fosse mais um Tom Brady se tivesse essa oportunidade.»

«Não me entendam mal: eu amo ser mulher e amei cada segundo quando estive grávida da Olympia. Eu era uma daquelas mulheres chatas que adoravam estar grávidas e trabalhei até ao dia em que tive de me apresentar no hospital – embora as coisas tenham ficado super complicadas. E quase fiz o impossível: muitas pessoas não percebem que eu estava grávida de dois meses quando venci o Open da Austrália em 2017. Mas estou quase a fazer 41 anos este mês, e algo tem de acontecer», vincou.

A tenista, que disputa por esta altura o torneio de Toronto, confessa que não gosta da palavra «reforma».

«Não me parece uma palavra moderna. Tenho pensado nisto como uma transição, mas quero ser sensível sobre como uso essa palavra, que significa algo muito específico e importante para uma comunidade de pessoas. Talvez a melhor palavra para descrever o que estou a fazer seja evoluçãoEstou aqui para dizer que estou a evoluir do ténis para outras coisas que são importantes para mim. Há alguns anos, comecei discretamente a Serena Ventures, uma empresa de capital de risco. Logo depois disso, eu comecei uma família. Eu quero aumentar essa família», explicou.

Serena, que venceu 23 Grand Slams, menos um do que a recordista Margaret Court, revelou ainda que o fim da carreira ainda é um assunto «tabu» nas conversas com a família. 

Relacionados

Patrocinados