Após passagem pelo México, tempestade tropical Beryl dirige-se para o Texas

Agência Lusa
6 jul, 13:48
Tempestade tropical Beryl estragos México (Alonso Cupul/EPA)

De acordo com o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC), está a provocar ventos de até 95 quilómetros/hora (km/h).

A tempestade tropical Beryl entrou no Golfo do México na sexta-feira e dirige-se para o Texas, nos Estados Unidos da América, após ter atingido a península mexicana de Yucatán como furacão, onde causou apenas danos materiais, segundo as autoridades.

A tempestade Beryl, que deixou sete mortos ao passar pelas Caraíbas e pela Venezuela no auge da sua força, está a 995 quilómetros de Corpus Christi, no Texas, onde se espera que chegue no domingo.

De acordo com o último boletim do Centro Nacional de Furacões (NHC), está a provocar ventos de até 95 quilómetros/hora (km/h).

"O Beryl enfraqueceu e transformou-se numa tempestade tropical", declarou o centro sediado em Miami no seu boletim das 18:00 GMT.

O Beryl atingiu a costa como furacão de categoria 2 às 05:05 horas locais (11:05 GMT) a nordeste de Tulum, um popular destino turístico na Riviera Maya, juntamente com Cancun.

No México, os ventos sopraram a 175 km/h, provocando a queda de árvores e postes de eletricidade e danos em muitos telhados, de acordo com um relatório preliminar das autoridades de proteção civil.

Na sua conferência de imprensa matinal, o Presidente mexicano Andrés Manuel Lopez Obrador congratulou-se com o facto de "aparentemente não ter havido perda de vidas, o que é o mais importante".

Algumas horas mais tarde, as autoridades confirmaram, também em conferência de imprensa, que não havia mortos nem feridos, acrescentando que as redes rodoviárias e de distribuição de água estavam intactas. Três municípios sofreram cortes de eletricidade.

Os aeroportos de Cancun, Tulum e Cozumel, onde chegam milhões de turistas todos os anos, não foram afetados, disse a chefe nacional da Proteção Civil, Laura Velázquez.

Após o cancelamento de mais de 300 voos, as operações foram retomadas normalmente no aeroporto de Cancún ao meio-dia, segundo a governadora do estado de Quintana Roo, Mara Lezama.

Cerca de 2.200 pessoas refugiaram-se em 58 abrigos temporários. No centro de Tulum, o exército mexicano montou uma cozinha comunitária para as pessoas que não puderam regressar às suas casas.

"A maior parte das lojas já está aberta", disse à AFP Alvaro Rueda, um pedreiro de 51 anos. "Já comprámos comida".

Mais de 25.600 membros das forças de segurança e da empresa nacional de eletricidade CFE foram destacados para a área.

As ruas bloqueadas pela queda de árvores foram desobstruídas pelos bombeiros e pela proteção civil.

O Beryl é o primeiro furacão da temporada no Atlântico e impressionou os especialistas ao ganhar intensidade muito rapidamente durante o fim de semana. Chegou a ser classificado como furacão de categoria 5, o primeiro alguma vez registado pelo serviço meteorológico dos EUA.

Um furacão tão poderoso é extremamente raro no início da temporada de furacões, que vai do início de junho até ao final de novembro.

O Observatório Meteorológico Americano alertou no final de maio que a temporada de 2024 seria extraordinária, com a possibilidade de quatro a sete furacões de categoria 3 ou superior.

Estas previsões estão relacionadas com o esperado desenvolvimento do fenómeno meteorológico La Niña, bem como com as elevadas temperaturas das águas no Oceano Atlântico, que têm estado em valores recorde há mais de um ano.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados