Os fundadores do Instagram estão de volta com uma nova app

CNN , Jennifer Korn
4 fev 2023, 12:00
Redes sociais (Pexels)

Ao contrário do Instagram, a aplicação é mais centrada em artigos do que em fotografias

Mais de quatro anos após os fundadores da Instagram terem deixado a empresa, estão de volta com uma nova aplicação.

Kevin Systrom e Mike Krieger anunciaram na terça-feira o lançamento de Artifact, uma aplicação que promete "um feed de notícias personalizado" alimentado por inteligência artificial.

Num posto Instagram, Krieger disse que ele e Systrom "têm estado a trabalhar com uma equipa talentosa" há mais de um ano para lançar o serviço. "Estamos gradualmente a deixar entrar pessoas à medida que aumentamos a nossa escala", escreveu Krieger. Uma lista de espera para aderir foi aberta ao público na terça-feira.

Ao contrário do Instagram, a aplicação é mais centrada em artigos do que em fotografias. A Artifact irá recomendar conteúdos baseados em interesses e permitir a discussão com amigos, segundo a Platformer, que foi a primeira página a noticiar o lançamento. Um feed principal exibirá artigos populares de grandes organizações de comunicação social até bloggers mais pequenos, e o feed de um utilizador crescerá mais personalizado com base naquilo em que clica.

A Artifact não respondeu ao pedido da CNN para obter mais detalhes.

O lançamento ocorre numa altura de atividade renovada no mundo das redes sociais. Na sequência da agitação e incerteza no Twitter sob o novo dono Elon Musk, vários serviços mais recentes encontraram tração ajudando os utilizadores a obter notícias e atualizações pessoais num feed. Entretanto, o rápido crescimento do TikTok continua a impulsionar numerosas aplicações, incluindo o Instagram, para copiar as suas características.

A Platformer descreveu a Artifact como um "TikTok para texto" e possivelmente "até mesmo um ataque surpresa ao Twitter".

Após lançarem em conjunto o Instagram em 2010, Systrom e Krieger venderam a aplicação ao Meta por 910 milhões de euros em 2012. A dupla deixou o Instagram em 2018, com relatórios na altura sugerindo que a partida se devia a tensões com o CEO Mark Zuckerberg sobre a direção da aplicação e um desejo de o incorporar ainda mais no Facebook.

"Uma das principais marcas do Instagram tem sido a sua independência e singularidade em relação ao Facebook. Os fundadores asseguraram-se disso", disse Debra Aho Williamson, analista principal da eMarketer, à CNN na altura.

Systrom e Krieger criaram desde então um empresa de capital de risco centrada nas aplicações sociais do futuro, de acordo com a Platformer. A Artifact é o primeiro produto desse negócio.

Tecnologia

Mais Tecnologia

Mais Lidas

Patrocinados