Tripulantes discutem proposta da TAP em assembleia de emergência

Agência Lusa , AM
21 dez 2022, 11:40
TAP

Reunião acontece a 29 de dezembro. Sindicato tem aprovada a marcação de pelo menos mais cinco dias de greve até 31 de janeiro

O Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), que convocou uma greve de tripulantes da TAP no início do mês, marcou uma assembleia geral de emergência para 29 de dezembro, para discutir a proposta da empresa.

“A Mesa da Assembleia Geral marcou uma AG [assembleia-geral] para dia 29, às 09:00, na ordem dos Contabilistas Certificados”, informou o sindicato, em comunicado aos associados, a que a Lusa teve acesso.

Recorde-se que este sindicato levou a cabo uma greve de tripulantes da TAP nos dias 08 e 09 de dezembro, que levou a companhia aérea a cancelar previamente 360 voos e teve um impacto estimado total de oito milhões de euros.

O sindicato aprovou ainda a marcação de pelo menos mais cinco dias de greve até 31 de janeiro.

A Administração da TAP e o SNPVAC têm estado reunidos em negociações nos últimos dias, no seguimento das reivindicações apresentadas pelo sindicato.

“Perante o atual cenário das negociações ainda em curso, a direção [do sindicato] solicitou à Mesa a marcação de uma assembleia geral de emergência, o mais breve possível, comprometendo-se a enviar a proposta da TAP à Mesa, 48 horas antes da referida Assembleia, para que esta a faça chegar a todos os associados, em tempo útil, para que todos possam analisar o documento previamente”, informou o SNPVAC em comunicado enviado aos associados.

Na segunda-feira, a presidente executiva da TAP, Christine Ourmières-Widener, disse aos jornalistas que as negociações estão no bom caminho e que acredita ser possível evitar mais dias de greves.

“Apesar de não acompanharmos o entusiasmo da atual CEO [presidente executiva], a verdade é que as reuniões têm decorrido na base do diálogo, com os avanços e recuos normais destas negociações”, referiu o sindicato.

A assembleia geral de emergência tem como objetivo prestar esclarecimentos sobre a proposta da TAP e as negociações que decorrem, “para que os associados – soberanos nas suas decisões – possam decidir de forma esclarecida e em consciência”, vincou o sindicato.

Relacionados

Empresas

Mais Empresas

Mais Lidas

Patrocinados