Sindicatos avançam com marcha silenciosa na terça-feira para protestar contra situação na TAP

Agência Lusa , HCL
13 ago, 10:49
Avião da TAP no aeroporto de Lisboa (Horacio Villalobos/Corbis via Getty Images)

Marcha é inédita e junta pilotos, técnicos de manutenção e pessoal de voo

Três sindicatos do setor da aviação apelaram aos associados para participarem numa "marcha silenciosa" inédita na terça-feira para "continuar a chamar a atenção de todos" para a situação que, "infelizmente, hoje se vive na TAP Air Portugal", foi anunciado.

"No dia 16 de agosto, às 08:30, com partida do Campo Pequeno e chegada ao Ministério das Infraestruturas e Habitação, iremos mais uma vez, abdicar de folgas, férias e dias livres, garantindo assim que nenhum passageiro é prejudicado por este nosso protesto", afirmam, num comunicado hoje divulgado, as direções do Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) e Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (SITEMA).

O objetivo é a melhoria contínua da qualidade do serviço que presta aos seus clientes e a sustentabilidade da própria empresa, mantendo os elevados padrões de segurança da operação pelos quais fomos sempre reconhecidos", dizem os sindicatos no comunicado.

Os sindicatos referem ainda que "pela primeira vez na história da aviação nacional, pilotos, pessoal de cabine e técnicos de manutenção, vão unir-se numa marcha silenciosa".

"Os trabalhadores e os passageiros estão juntos quando viajam e estão juntos nesta luta pelo alinhamento entre as opções de gestão e aquilo que o país necessita da TAP", dizem os três sindicatos, afirmando ainda que "os aviões [da TAP] não voam sem pilotos, sem pessoal de cabine e sem uma boa manutenção nem chegam a sair do chão".

Negócios

Mais Negócios

Patrocinados