Taiwan alarga serviço militar obrigatório para um ano

Agência Lusa , AM
27 dez 2022, 10:36
Exército de Taiwan (Getty Images)

Anúncio ocorre dois dias após exercícios militares chineses perto de Taiwan que Pequim diz ter organizado em resposta a "provocações" e "conluio" entre Washington e Taipé

Taiwan vai estender o serviço militar obrigatório de quatro meses para um ano, anunciou a presidente Tsai Ing-wenen, sublinhando que a ilha se deve preparar para as crescentes ameaças da China.

"O atual serviço militar de quatro meses não é suficiente para responder à situação em constante e rápida mudança", disse a governante, em conferência de imprensa.

"Decidimos restaurar o serviço militar de um ano a partir de 2024", explicou, acrescentando que a reforma se vai aplicar a todos os homens nascidos após 1 de janeiro de 2005.

A ilha de Taiwan, de 24 milhões de habitantes, vive sob a constante ameaça de uma invasão da China, que a considera parte do seu território, a ser reconquistada um dia, se necessário pela força.

O anúncio ocorre dois dias após exercícios militares chineses perto de Taiwan que Pequim diz ter organizado em resposta a "provocações" e "conluio" entre Washington e Taipé.

"Ninguém quer a guerra... mas, meus compatriotas, a paz não cairá do céu", voltou a declarar a presidente.

Já sob a presidência de Xi Jinping, Pequim intensificou a pressão militar, diplomática e económica sobre Taiwan à medida que as relações se vão deteriorando.

A perspetiva de uma invasão chinesa preocupa cada vez mais os países ocidentais e muitos dos vizinhos da China.

Reeleito em outubro para um terceiro mandato como líder da China, Xi deixou claro que a "reunificação" de Taiwan não pode esperar pelas gerações futuras.

Em caso de conflito, a ilha de Taiwan é largamente ultrapassada em termos de efetivos, com 88 mil soldados no exército, contra um milhão de Pequim, segundo estimativas do Pentágono. Pequim também tem uma vantagem considerável quando se trata de equipamento militar.

Taiwan intensificou o treino para reservistas e aumentou as compras de caças e mísseis antinavio para reforçar as suas defesas. Mas os especialistas dizem que tal não é suficiente.

Anteriormente impopular, o serviço militar obrigatório foi introduzido pelo regime militar antes de a ilha se ter tornado numa democracia progressista.

O governo anterior tinha decidido reduzir de um ano para quatro meses o serviço militar obrigatório, preferindo desenvolver um exército de profissionais.

As sondagens mais recentes mostram que mais de três quartos dos taiwaneses consideram esta duração muito curta.

Os militares também estão a lutar para recrutar e reter pessoal em tempo integral devido aos fracos incentivos financeiros.

Tsai considerou “extremamente difícil” a sua decisão de estender o serviço militar, mas a descreveu-a como destinada a “garantir o modo de vida democrático para nossas gerações futuras".

China e Taiwan estão separados desde o fim da Guerra Civil Chinesa, em 1949, e o presidente de Taiwan já disse que juntar-se à China não é aceitável para os taiwaneses.

Relacionados

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados