Mais um revés: exercícios militares da China em Taiwan ameaçam o comércio global (com mapas)

CNN , Laura He
5 ago, 18:24
"Já nos deparámos com isto muitas vezes, mas desta vez o ambiente é invulgar": em Taiwan, já se sente a escalada de tensão

Cadeias logísticas já estão sob stress. Exercícios militares da China afetam uma das vias navegáveis mais movimentadas do mundo

Os exercícios militares de fogo-vivo da China em torno de Taiwan ameaçam perturbar o comércio e as viagens comerciais na Ásia Oriental, forçando os navios a desviarem-se de uma das vias navegáveis mais movimentadas do mundo e exercendo mais pressão sobre as já tensas cadeias de abastecimento mundiais.

Na quinta-feira, a China deu início a exercícios envolvendo a marinha, a força aérea e outras forças militares nos mares e no espaço aéreo em torno de Taiwan. Os exercícios - em número sem precedentes - são uma demonstração direta de força em resposta à visita da Presidente da Câmara [dos Representantes] dos EUA, Nancy Pelosi, à ilha auto-governada, contra a qual Pequim alertou repetidamente.

Exercícios militares da China em torno de Taiwan

Pequim anunciou os exercícios depois da chegada de Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, na terça-feira, 2 de agosto. Nota: Taiwan estende a sua ZIDA mais longe para norte, mas só a zona a leste da mediana é reconhecida pelos EUA. Fonte: CNN

O Ministério da Defesa chinês divulgou na terça-feira um mapa de seis zonas em redor da ilha, onde disse que iria realizar exercícios aéreos e marítimos, bem como exercícios de fogo-vivo de longo alcance que durarão até domingo. Navios e aviões foram avisados, para se manterem afastados das zonas durante os exercícios.

Taiwan disse que os exercícios militares equivalem a um "bloqueio marítimo e aéreo" e que "violaram as águas territoriais de Taiwan e a sua zona contígua".

Ameaçam também perturbar os fluxos comerciais numa das rotas marítimas mais movimentadas do mundo.

O Estreito de Taiwan, uma artéria de cerca de 180 quilómetros de largura, que separa a ilha de Taiwan da Ásia continental, é uma rota comercial fundamental para os navios que transportam mercadorias entre as principais economias do nordeste asiático, como a China, o Japão e a Coreia do Sul, e o resto do mundo.

A consultora de navegação VesselsValue, com sede em Londres, afirmou que existem atualmente 256 navios porta-contentores e outros em águas territoriais de Taiwan, estimando-se que mais 60 chegassem entre quinta-feira e domingo, altura em que serão realizados os exercícios.

"Há potencial para uma perturbação substancial do comércio na região", disse Peter Williams, um analista de fluxos comerciais da VesselsValue.

O encerramento das rotas comerciais em torno de Taiwan, mesmo temporariamente, "suscita preocupações sobre se a China poderá voltar a fazê-lo com sucesso, e o que isto poderá significar não só para o comércio futuro, padrões económicos e de viagens, mas também cenários potencialmente de defesa e de segurança", disse Nick Marro, analista líder para o comércio global na Economist Intelligence Unit.

Repercussões futuras

Não está ainda claro qual será o impacto a longo prazo, mas as companhias de embarcação esperam atrasos devido ao reencaminhamento, potenciais perdas de vendas e custos mais elevados para os trabalhadores que trabalharão mais horas.

Contentores, Petroleiros, e Graneleiros atualmente em águas territoriais de Taiwan

As cadeias logísticas globais foram já agitadas pela pandemia e pela guerra na Ucrânia, que perturbaram o fluxo de bens e conduziram ao aumento da inflação em muitas partes do mundo.

Qualquer conflito em Taiwan, que domina a indústria de semicondutores, poderia exacerbar a escassez global de chips informáticos, que são componentes vitais para praticamente toda a eletrónica moderna.

Taiwan tem sete grandes portos. O Porto de Kaohsiung, localizado na costa sudoeste, é o maior porto de Taiwan e o 15º maior do mundo, de acordo com o Conselho Mundial de Navegação.

O Gabinete Marítimo e Portuário de Taiwan emitiu três avisos na quarta-feira, pedindo aos navios que utilizassem rotas alternativas para os portos das cidades de Keelung, Taipé, Kaohsiung e outras.

Taiwan redireciona voos internacionais

Taiwan também redireccionou 18 rotas de voo internacionais, na sequência de negociações com o Japão e as Filipinas. Aproximadamente 300 voos seriam afetados como resultado do reencaminhamento, disse na quarta-feira o ministro dos Transportes de Taiwan, Wang Kwo-tsai.

"Ainda não acabaram as repercussões, pois elas estão apenas a começar", disse Clifford Bennett, economista-chefe da ACY Securities, uma corretora australiana.

Como os exercícios da China estão a afetar os voos internacionais

O voo CA195 da Air China é um dos que foi redirecionado para evitar a zona de exercícios militares da China. Fonte: CNN

"Muito pior do que isso será qualquer atraso económico nas relações entre Taiwan e a China, como resultado da visita de Pelosi", disse.

A China já atingiu Taiwan com algumas restrições comerciais desde quarta-feira, incluindo a suspensão de algumas frutas e peixe importados de Taiwan, e exportações de areia natural para a ilha.

Todo o acontecimento pode "continuar a reverberar, causando mais danos durante meses, ou mesmo anos, tanto às relações de Taiwan como dos EUA com a China continental", concluiu Bennett.

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados