Coronel reformado condenado por espionagem para a China em Taiwan

Agência Lusa , AG
25 fev 2023, 08:11
Taiwan (Getty Images)

Homem foi fotografado em 2020 com o uniforme militar equanto segurava uma nota manuscrita em que garantia lealdade à China

Um tribunal de Taiwan condenou um coronel reformado do exército a sete anos e meio de prisão por espionagem para a China entre outubro de 2019 e janeiro de 2022, noticiaram este sábado a agência de notícias estatal.

O Tribunal Distrital de Kaohsiung decidiu que Hsiang Te-en, de 49 anos, para quem a acusação pedia a pena máxima de 12 anos de prisão, deveria devolver 560 mil novos dólares de Taiwan (17.300 euros) obtidos em troca de informações a Pequim, informou o CNA.

De acordo com o veredito, Hsiang começou a receber pagamentos mensais a partir de 2019 de um antigo jornalista para transmitir informações militares classificadas à China.

A acusação afirmou que Hsiang foi fotografado em 2020 com o uniforme militar, enquanto segurava uma nota manuscrita na qual garantia a lealdade à China.

"Eu, Hsiang Te-en, comprometo-me a apoiar a unificação pacífica [da China e de Taiwan]. Farei o meu melhor da minha posição atual para cumprir a gloriosa tarefa de avançar a unificação pacífica com a pátria", lê-se no texto.

Já o jornalista enfrenta agora acusações de suborno e crimes contra a segurança nacional. Foi correspondente de uma estação de televisão de Taiwan nas Ilhas Kinmen, controladas por Taipé, apesar de estar a apenas cinco quilómetros da cidade do sudeste chinês de Xiamen, entre 1993 e 2019.

A China reivindica a soberania sobre a ilha, afirmando que a reunificação não exclui o uso da força.

A ilha é também uma das principais fontes de conflito entre a China e os Estados Unidos, principalmente porque Washington é o principal fornecedor de armas de Taiwan e o seu principal aliado.

Ásia

Mais Ásia

Mais Lidas

Patrocinados