China diz que sobrevoou ilhas de Taiwan, e mostrou imagens. Taiwan diz que são imagens manipuladas

17 ago, 09:20
Imagens divulgadas pela Força Aérea chinesa

Avião da Força Aérea chinesa sobrevoou ilhas Penghu, no sudoeste de Taiwan, de muito perto. As autoridades tawianesas dizem que tudo não passa de truques visuais de Pequim e que os aviões nunca estiveram assim tão perto

Em pleno braço de ferro militar com Taiwan - por causa das visitas à ilha de membros do congresso norte-americano, e em particular a visita de Nancy Pelosi, no início deste mês - a China divulgou um vídeo que mostra um avião militar chinês a sobrevoar as ilhas taiwanesas de Penghu.

As imagens de vídeo foram divulgadas após as manobras militares desta segunda-feira, em resposta à deslocação a Taiwan de uma nova delegação de congressistas dos EUA, liderada pelo senador Ed Markey. No vídeo, aparentemente gravado a partir de um avião da Força Aérea chinesa, em data que não pode ser confirmada, é possível identificar perfeitamente várias ilhas de Penghu, que ficam no sudoeste do arquipélago de Taiwan, uma das áreas onde aconteceram manobras militares por parte do Exército de Libertação Popular (ELP) da China.

Para além de ser um popular destino para as férias de verão dos taiwaneses, atraídos pelas suas praias e resorts, Penghu também é conhecida por alojar uma importante base aérea das Forças Armadas de Taiwan - e essa é a principal razão para o aparente interesse chinês sobre estas ilhas.

Segundo o jornal Global Times, do Partido Comunista Chinês, “o Comando do Teatro Oriental do ELP lançou no mesmo dia [segunda-feira] um vídeo que mostra um piloto a olhar para as ilhas de Penghu durante os exercícios no mesmo dia [segunda-feira], e notou que isto é um dissuasor solene para os EUA e as autoridades de Taiwan, que têm repetidamente pregado partidas políticas e prejudicado a paz e a estabilidade no Estreito de Taiwan”.

“Truques exagerados” com lentes de longo alcance

Mas, segundo as autoridades de Taiwan, quem está a “pregar partidas” é a China, ao divulgar um vídeo manipulado para parecer que os aviões de Pequim haviam sobrevoado Penghu.

Ontem, o ministro da Defesa de Taiwan reagiu ao vídeo da Força Aérea da China negando que alguma vez os aviões chineses tenham chegado tão perto de Penghu como as imagens dão a entender. 

Por seu lado, Tung Pei-lun, vice-comandante da Força Aérea de Taiwan para Operações, disse aos jornalista que tudo não passa de guerra de informação por parte de Pequim, para desmoralizar os taiwaneses.

"A China usou os truques exagerados da guerra de informação para mostrar quão perto estava de Penghu - o que não é verdade", disse Tung.

Segundo o porta-voz da Força Aérea de Taiwan, “o efeito de proximidade obtido através da utilização de uma lente teleobjetiva de longo alcance, combinado com a boa visibilidade nesse dia, dá a impressão de que as ilhas estão muito mais próximas do que realmente estavam".

Nessa segunda-feira, o Ministério da Defesa de Taiwan mostrou um mapa com a atividade da Força Aérea chinesa perto da ilha, mostrando que os aviões chineses mais próximos de Penghu nesse dia eram quatro aviões J-16. Estes atravessaram a linha mediana do Estreito de Taiwan - a divisão não oficial que separa os dois lados do estreito - mas permaneceram sempre mais perto da costa chinesa do que Penghu, segundo a informação do governo taiwanês.

Segundo os responsáveis de Taiwan, as autoridades locais têm um conhecimento em tempo real do que se passa a cada momento nos céus e nas águas em torno da ilha, e aquilo que o vídeo parece mostrar nunca aconteceu. Trata-se de “um exagero”, na linguagem oficial do governo de Taiwan.

"A definição de insanidade"

O caso é analisado num editorial publicado esta quinta-feira no jornal Taipei Times, com o título “A definição de insanidade”. Nesse texto, o editorialista lembra que esta “não é a primeira vez que o ELP é apanhado em alegações exageradas, imagens manipuladas ou imagens falsificadas como guerra de informação. Após a visita do então secretário de saúde e serviços humanos dos EUA, Alex Azar, a Taiwan, em agosto de 2020, o ELP divulgou um vídeo de propaganda representando um ataque bombista fictício à base aérea de Andersen, em Guam, do exército norte-americano. O vídeo incluía segmentos de dois filmes de ação de Hollywood: ‘Estado de Guerra’, de 2008, e O Rochedo, de 1996.”

Segundo o editorialista, “o que Pequim não consegue compreender é que quanto mais agita cada um dos campos de batalha - convencional, cibernético, informativo e psicológico - mais endurece a determinação dos taiwaneses comuns, e reforça a defesa da independência. Cada vez que Pequim realiza exercícios militares de alto nível, disparando mísseis balísticos cada vez mais próximos de Taiwan ou satura o espaço de informação com propaganda militar jingoísta [exageradamente nacionalista ou chauvinista] e filmagens em vídeo de navios de guerra e aviões militares que circundam Taiwan, sinalizam a um número cada vez maior de taiwaneses que a China é um inimigo implacável”.

Daí, a conclusão do articulista: “Costuma-se dizer que ‘a definição de insanidade é fazer a mesma coisa repetidamente e esperar resultados diferentes’. Quanto mais Pequim se aproxima da coação militar contra Taiwan, mais se dispara contra o próprio pé. É a definição de insanidade."

Ásia

Mais Ásia

Patrocinados