Taça da Liga: Sporting-Santa Clara, 2-1 (crónica)

Adérito Esteves , Estádio Magalhães Pessoa, Leiria
26 jan, 21:50

De penálti numa ressaca clássica

Todos sabemos como é.

Dia de ressaca, não é para grandes exigências. É fazer o mínimo obrigatório e aproveitar cada meia oportunidade para recuperar.

E depois, em princípio, melhores dias virão.

E foi assim que o leão se apresentou na meia-final da Taça da Liga, na ressaca de uma dolorosa derrota em casa frente ao Sp. Braga.

A vontade existiu. Ninguém pode dizer o contrário. Mas era daqueles dias em que não dava para mais.

Amorim mudou quatro peças no onze – que era dia de refrescar um pouco – e abordou o jogo que valia o bilhete para a final de cara, mais ou menos, lavada.

Mas as coisas demoraram a arrancar. O Sporting começou por dominar o jogo de forma confortável, foi até asfixiante na pressão, a espaços, mas os jogadores mostraram-se sempre muito atabalhoados na hora de decidir.

E à custa disso, ainda houve ali um momento de refluxo e indisposição.

Mérito de Lincoln, sem nada a ver com problemas alheios, atirou o leão ainda mais para baixo com um golaço de livre direto. Um daqueles de levantar qualquer estádio.

Mas se esse momento podia deixar o Sporting em sofrimento, seria um erro do Santa Clara a voltar a deixar tudo como estava.

Numa arrancada de Nuno Santos – quase sempre o mais ativo na equipa do Sporting – Villanueva foi muito infeliz na abordagem ao cruzamento e marcou um autogolo que levou o jogo empatado para intervalo.

Na segunda parte, o detentor da Taça da Liga pareceu voltar revigorado. Durante cinco minutos, não deixou o Santa Clara sair do seu meio-campo defensivo.

Só que aos poucos, o fulgor foi desaparecendo.

E se é verdade que o Santa Clara também não fez muito para chegar à sua primeira final da Taça da Liga, o Sporting só voltou a marcar graças a novo erro açoriano.

Rui Costa abordou um lance com Sarabia de costas, mas com o braço levantado, o VAR viu a infração e avisou o árbitro que assinalou penálti e expulsou Rui Costa, aos 63 mintutos.

Sarabia não tremeu dos onze metros e ‘matou’ a ressaca com um penálti irrepreensível.

Depois disso, Paulinho ainda teve uma daquelas perdidas que pode dar dores de cabeça, num remate falhado de baliza aberta.

Mas esquece-se isso. Agora venha a festa da final. A festa de mais um dérbi lisboeta para decidir um título.

Sporting e Benfica definem no sábado o vencedor desta edição da Taça da Liga, sabendo de antemão que há nova ressaca à vista. E que não será nada agradável para uma das partes.

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados