Taça da Liga: FC Porto-Ac. Viseu, 3-0 (destaques)

Adérito Esteves , Estádio Magalhães Pessoa, Leiria
25 jan, 22:02

Super (João) Mário está no ponto

A FIGURA: João Mário

O lateral está claramente no melhor momento da época. A confiança ajuda e é fácil perceber a razão pela preferência deste FC Porto em atacar pela direita. João Mário foi dos jogadores mais interventivos da primeira parte, com vários cruzamentos perigosos, como aquele que resultou nos golos de Eustáquio e Bernardo Folha. Mas também é muito inteligente em terreno interiores e a assistência para Namaso, aos 67m, é genial.

O MOMENTO: Namaso mata a esperança viseense

O FC Porto dominava, mas o 1-0 é sempre perigoso. Namaso afastou o perigo, após assistência sublime de João Mário, sensivelmente a meio da segunda parte.

OUTROS DESTAQUES

Eustáquio

O médio internacional canadiano está de volta à melhor forma, depois da lesão com que chegou do Mundial. Marcou o golo inaugural, quase sem querer, mas é sempre intencional na forma como ajuda a controlar o meio-campo, com uma gestão dos tempos irrepreensível. Saiu aos 60 minutos, com a tarefa cumprida.

Otávio

Joga, faz jogar e parece estar em todo o lado. Até quando não toca na bola tem uma influência notável no futebol do FC Porto, como numa simulação ainda na primeira parte, com que deixou Namaso isolado, e na simulação que permitiu a Bernardo Folha marcar o terceiro da partida. Ficou perto do golo a abrir a segunda parte, mas Bandeira cortou quando a bola ia para a baliza.

Namaso

Desperdiçou um par de oportunidades para marcar, talvez por falta de confiança. Porque noutras situações em que podia ter ido para a baliza, preferiu assistir. Ainda assim, nunca se desligou do jogo e saiu recompensado com o golo que deu tranquilidade ao FC Porto e escancarou as portas da final, a meio da segunda parte.

Bernardo Folha

Quando lhe perguntarem como foi o primeiro golo na equipa principal do FC Porto, talvez o médio formado nos dragões desvie a conversa. Vá, não há razões para ter vergonha, mas não foi o golo com que certamente terá sonhado. Surgiu no centro da área a rematar para defesa de Gril, e na tentativa de tirar a bola da zona de perigo, Arthur Chaves chutou contra Bernardo Folha e a bola acabou no fundo da baliza. Conta e ficará na memória do jogador de 20 anos.

Quizera

Muito interessante o número 10 do Académico. Apesar de ter apenas 20 anos, mostrou detalhes de craque, não se encolhendo por ter do outro lado o campeão nacional. Dividiu a formação entre Benfica e Borussia Monchengladbach e está a crescer em Viseu pela segunda época, mas não deve ficar por lá muito mais tempo.

Patrocinados