Taça da Liga: Desp. Chaves-FC Porto, 0-2 (crónica)

Ricardo Jorge Castro , Estádio Municipal Eng. Manuel Branco Teixeira, em Chaves
8 dez 2022, 21:03

Namaso desempata

Um bis de Danny Namaso desempatou as contas do grupo A da Taça da Liga, deixando o FC Porto isolado na liderança com quatro pontos e mais perto dos quartos de final de uma prova que ainda procura vencer pela primeira vez. O Chaves está matematicamente eliminado.

Num grupo que tinha tido três empates em três jogos, dois golos do inglês em apenas quatro minutos (55 e 59) quebraram radicalmente essa sequência e ditaram a resposta necessária dos dragões, quase duas semanas depois do empate caseiro com o Mafra.

Em Chaves, com mais de 5 mil espetadores nas bancadas, houve bom espetáculo e a primeira parte pecou mesmo pela falta de golos. Houve oportunidades suficientes, mas Paulo Vítor e Cláudio Ramos também mostraram serviço. Depois, uma reentrada ofensiva e eficaz do FC Porto valeu dois golos e um controlo sóbrio da vantagem, sem que os flavienses conseguissem criar verdadeiro e suficiente perigo para contrariar o marcador.

Num jogo marcado pelo regresso de internacionais após o Mundial 2022, Steven Vitória foi direto ao onze do Chaves – que teve quatro alterações face ao jogo em Vizela – e Marko Grujic ao do FC Porto. Conceição lançou o sérvio e também promoveu as titularidades de João Mário e de Namaso, por fim a figura do jogo.

Num jogo crucial nas aspirações do apuramento, houve animação e interesse desde cedo, em crescendo a partir do quarto de hora. Afinal, ganhar vantagem podia ser determinante no desenrolar do jogo e Héctor quase fez o 1-0, valendo Cláudio Ramos numa de duas boas defesas na primeira parte (14m).

O FC Porto emergiu ofensivamente a partir daí, com várias aproximações e muito à boleia de Galeno. A velocidade do brasileiro e a capacidade no um para um sobressaíram, abrindo brechas na defesa flaviense. Valeu Paulo Vítor, que voou para negar o golo num remate colocado de Pepê (16m) e depois a um cabeceamento de Grujic, após canto (20m).

As fugas de Galeno iam criando mossa ao Chaves e João Correia, João Queirós e Steven Vitória tiveram, por vezes, trabalhos redobrados para tapar os caminhos da baliza. Mas com êxito.

Foi já no quarto de hora final da primeira parte que o Chaves reagiu com mais afinco no ataque. Guima e João Teixeira proporcionaram boas transições e várias chegadas à área, no entanto bem resolvidas pela defesa do FC Porto, que ia evitando trabalhos maiores para Cláudio Ramos. Contudo, a insistência azul-grená obrigou mesmo o guardião a negar um golo quase certo a Héctor (39m), de cabeça, após boa jogada entre Guima, João Teixeira e Euller.

A primeira parte, entretida e com o 0-0, abria expectativas interessantes para mais 45 minutos em busca da vitória e da liderança e uma reentrada mais presente do FC Porto no meio-campo ofensivo resultou em festa a dobrar num ápice.

Vítor Campelos tinha acabado de mudar o lateral-direito e um extremo, quando o FC Porto, pela direita do ataque, chegou ao golo: João Mário cruzou a meia altura e Namaso, de pé esquerdo, no ar, concluiu para o fundo da baliza, não demorando muito mais a festejar de novo. No 0-2, a chave da maior tranquilidade residiu no outro corredor e numa recuperação de Toni Martínez perante João Correia. O espanhol progrediu, cruzou atrasado e o remate de Namaso acabou no fundo da baliza, após um desvio em Queirós. Bis inédito pela equipa principal.

A partir daí, a verdade é que o FC Porto conseguiu controlar o jogo, não deixar tanto espaço para saídas do adversário e Namaso até podia ter feito hat-trick, mas a bola beijou o poste. O Chaves tentou reagir, mas não conseguiu maior afinco no último terço – como tinha conseguido, por exemplo, na primeira parte – e o FC Porto garantiu a vitória, num jogo em que Conceição ainda deu minutos ao regressado Taremi e também a outro jovem da equipa B, Bernardo Folha.

Relacionados

Mais Lidas

Patrocinados