Conceição cita Abel e analisa: «Porro é diferente de Esgaio, sem dúvida»

Ricardo Jorge Castro , Olival, Vila Nova de Gaia
27 jan, 13:58

Treinador do FC Porto fala do que pode encontrar na equipa do Sporting na final da Taça da Liga e lembra ainda que o trio Paulinho-Trincão-Edwards é diferente face à possibilidade de jogar Pedro Gonçalves

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que a eventualidade de Pedro Porro jogar, em vez de Ricardo Esgaio – que foi titular pelo Sporting ante o Arouca, nas meias-finais da Taça da Liga – traz diferenças face às «características» de cada um.

Porro tem sido, nos últimos dias, a maior incógnita sobre uma possível saída já em janeiro – alvo do Tottenham – e foi suplente utilizado frente aos arouquenses, na terça-feira, tendo o treinador Ruben Amorim falado em problemas físicos e sublinhado a confiança em Esgaio.

Esta sexta-feira, questionado pelo Maisfutebol sobre o que é que poderia mudar ou merecer mais atenção na preparação do FC Porto para o jogo ante o Sporting, contando ou não com Porro na ala direita dos leões, Conceição respondeu que «não influencia», mas que há atenção a quem está do outro lado, dando ainda o exemplo do trio da frente dos verde e brancos.

«Não influencia, porque somos fiéis ao que somos como equipa, estamos é atentos ao que é a dinâmica coletiva do adversário e aos jogadores que, no fundo, fazem parte dessa dinâmica e o Pedro Porro é diferente do Esgaio, sem dúvida. São muito ofensivos, mas com características diferentes. E é nesse sentido que temos de preparar o jogo, olhando ao que é, primeiro, a organização coletiva e, depois, quem faz parte dessa organização. Na frente, dou outro exemplo: jogando o Paulinho, o Trincão e o Edwards, é diferente de jogar o Pote na frente. Tem coisas diferentes e é nesse sentido, nessa ocupação de espaço com bola e sem bola, de acordo com os jogadores que vão jogar, que temos de perceber o que vai acontecer, naquilo que depois são as características dos jogadores do Sporting», referiu.

Pouco depois, e sobre se pesaria mais o lado emocional ou racional para esta final ante o Sporting, Conceição citou o compatriota Abel Ferreira, treinador do Palmeiras, para explicar a sua ideia.

«Vem-me à cabeça, quando estava a fazer a questão, o Abel, que disse uma vez uma coisa muito acertada, entre tantas coisas acertadas que ele diz, que o jogador tem de ter cabeça fria e coração quente. É um bocadinho por aí. Coração quente é o tal brilho no olhar e cabeça fria é sermos racionais e inteligentes na interpretação de cada um, dentro das duas tarefas e se formos fortes, cada um de nós, dentro do jogo, a equipa vai ser forte também. É preciso inteligência e essa paixão pelo jogo, essa dedicação», afirmou.

O técnico disse ainda não esperar que o relvado de Leiria esteja «pesado» porque «não tem chovido», mas admitiu que poderá não estar «em bom estado». «Olhei para os jogos que se disputaram lá e vi alguns jogadores com dificuldade na aderência, a escorregar várias vezes. Espero que esteja bom, isso privilegia o espetáculo», observou.

O Sporting-FC Porto tem início às 19h45 de sábado e pode ser seguido, ao minuto, no Maisfutebol.

Relacionados

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados