Três funcionários do Programa Alimentar Mundial mortos no Sudão

Agência Lusa , PP (atualizado às 15:18)
16 abr 2023, 14:55
Sudão (imagem Getty)

O representante da missão no Sudão, Volker Perthes, “condenou veementemente os ataques ao pessoal da ONU” e expressou condolências às famílias das vítimas. Diretor do programa das Nações Unidas suspendeu operações no terreno

Três funcionários do Programa Alimentar Mundial (PAM) foram mortos no sábado no Sudão, durante confrontos que irromperem no meio de combates entre o exército e paramilitares, anunciou hoje a missão da ONU no país africano.

Os funcionários do PAM “foram mortos em confrontos que irromperam em Kabkabiya, Darfur do Norte, em 15 de abril, no desempenho das suas funções", disse a missão da ONU em comunicado citado pela agência espanhola EFE.

O representante da missão no Sudão, Volker Perthes, “condenou veementemente os ataques ao pessoal da ONU” e expressou condolências às famílias das vítimas.

Perthes exprimiu “extrema preocupação” com “relatos de projéteis que atingiram as instalações da ONU” durante os combates.

Entretanto, o diretor do Programa das Nações Unidas, Cindy McCai disse que as operações no terreno "vão ser suspensas" de forma temporária, avança a agência Reuters. "Enquanto avaliamos as questões de segurança somos forçados a suspender as operações no Sudão", afirmou.

Pelo menos 56 civis mortos nos confrontos no Sudão

Também hoje foi notícia que os confrontos de sábado entre o Exército sudanês e paramilitares causou a morte de 56 civis, segundo um novo balanço divulgado este domingo pelo Sindicato dos Médicos do Sudão.

O anterior balanço apontava para 26 mortos e 103 feridos. A mesma fonte adiantou que há a registar dezenas de mortes entre as forças de segurança.

As mortes ocorreram por todo o país, incluindo na capital, Cartum, e Omdurman, disse o Sindicato dos Médicos do Sudão.

África

Mais África

Mais Lidas

Patrocinados