Stressados e inseguros financeiramente: a realidade dos jovens portugueses

22 jul, 12:09

Pesquisa global da Deloitte analisou a situação específica de Portugal, através do inquérito a 400 jovens portugueses das gerações Z e Y

Stressados e inseguros financeiramente. É este o retrato dos jovens portugueses segundo o estudo global "Gen Z and Millennial Survey 2022" da Deloitte.

A pesquisa global analisou a situação específica de Portugal, através do inquérito a 400 jovens portugueses das gerações Z e Y (ou Millennials), os primeiros nascidos entre janeiro de 1995 e dezembro de 2003 (19-27 anos), e os segundos entre janeiro de 1983 e dezembro de 1994 (28-39 anos).

E em Portugal, 61% da Geração Z disse estar insegura financeiramente. Também 65% de Millennials têm o mesmo sentimento.

No que diz respeito à ansiedade e ao stress, 53% da Geração Z e 33% dos Millennials afirmam ter esses sentimentos na maior parte do tempo. 

Relativamente às causas para esses sentimentos, os entrevistados apontam o futuro financeiro a longo prazo como a principal razão. Seguem-se as preocupações relacionadas com a saúde mental, a carga laboral, a família/relações pessoais e as finanças do dia a dia.

O futuro também é alvo de preocupação, em específico a reforma. Na Geração Z, apenas 27% dos inquiridos afirma sentir-se seguro relativamente à sua reforma. A percentagem sobe ligeiramente entre os Millennials, para 33%.

Nuno Carvalho, da Deloitte, aponta o contexto mundial como uma das razões para estes números - “o atual contexto mundial conduziu a um clima generalizado de apreensão com o futuro, a que os Millennials e Geração Z não são alheios”.

Uma apreensão com o futuro que, segundo o estudo, os jovens de ambas as gerações justificam com o custo de vida e as alterações climáticas/proteção do ambiente. A Geração Z preocupa-se também com a saúde mental, o desemprego e a escassez de recursos. Já o que também deixa os Millennials desassossegados é a desigualdade de rendimento/distribuição de riqueza, o desemprego e a saúde/prevenção de doenças.

Os jovens e o trabalho 

As carreiras também foram tópico de análise neste estudo. A Geração Z tem mais vontade de mudar de emprego do que os Millennials, sendo que as formas de trabalho são parecidas: 16% da Geração Z trabalha remotamente, 24% de forma híbrida e 54% trabalha sempre a partir do escritório do empregador; nos Millennials, 18% trabalha remotamente, 25% em regime híbrido e 53% de forma totalmente presencial.

Ambas as gerações preferem o trabalho remoto ou híbrido ao trabalho presencial.

O estudo "Gen Z and Millennial Survey 2022" foi realizado em 46 países.

Relacionados

País

Mais País

Patrocinados