Líder da Administração Federal de Aviação norte-americana anuncia saída

Agência Lusa , AM
17 fev, 06:51
Stephen Dickson (Associated Press)

Stephen Dickson, que sai após a FAA ser criticada pela gestão do caso 5G, diz-se orgulhoso do seu mandato

O líder da Administração Federal de Aviação norte-americana anunciou a saída a 31 de março da agência, criticada pela supervisão da Boeing e pelo tratamento de questões relativas à interferência do 5G nas aeronaves.

Stephen Dickson, antigo piloto e executivo da Delta Air Lines em Atlanta, lidera a agência desde agosto de 2019.

Numa carta dirigida aos funcionários da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês), Dickson disse que estava orgulhoso do seu mandato.

"A agência está num lugar melhor do que há dois anos, e nós estamos posicionados para um grande sucesso", sustentou.

A reputação da agência foi abalada antes de Dickson se tornar administrador por ter aprovado o Boeing 737 Max e por alegada inação após o primeiro de dois acidentes mortais em 2018 e 2019.

Sob a liderança de Dickson, a FAA levou quase dois anos para aprovar as alterações feitas pela Boeing e para permitir que o avião voltasse a voar.

Mais recentemente, a FAA foi criticada pela gestão do caso 5G, que envolveu dúvidas sobre se o novo serviço sem fios de alta velocidade pode interferir com os instrumentos usados nos aviões.

Sob pressão da FAA, do Departamento de Transportes e da Casa Branca, as empresas de telecomunicações concordaram em atrasar a implementação do serviço perto de aeroportos movimentados.

Os críticos, contudo, disseram que a FAA reagiu com lentidão às preocupações sobre possíveis interferências.

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados