Amorim: «Adán? 22 minutos não apagam 92 jogos e quatro títulos»

7 out, 12:25

Treinador com confiança total no guarda-redes

O treinador do Sporting, Ruben Amorim, acredita que a equipa vai voltar ao patamar a que habituou os adeptos nas últimas duas temporadas e mantém confiança total em Antonio Adán.

«Já o provámos no ano passado e podemos voltar a estar a esse nível. A preparação foi normal, com uma derrota o ambiente não é o melhor, os jogadores estão preparados. Foi um jogo atípico, como já sucedeu nesta época, sabemos disso, é responsabilidade nossa e estamos preparados para o jogo», afirmou o técnico na antevisão ao duelo com o Santa Clara.

«Temos de subir na tabela, uma derrota não nos tira o foco, estamos em primeiro lugar na Champions e temos de subir na tabela. A preparação foi normal num clube grande, temos sempre de ganhar», disse ainda.

Amorim garantiu ainda confiança total no guarda-redes Antonio Adan, que teve uma exibição para esquecer em Marselha, para a Liga dos Campeões, numa partida em que até acabou expulso. «Continua a dar todas as garantias. 22 minutos não apagam 92 jogos, quatro títulos. Apesar de, como os outros, ele ter sempre de provar a cada momento, ele continuou a fazer a sua preparação. Não teve um dia bom, mas continua a ser o guarda-redes mais preparado para iniciar o jogo e é ele que vai começar», frisou.

O técnico admitiu que digerir uma exibição como a do espanhol «é sempre difícil» e acrescentou: «Nas conversas que temos no balneário, os jogadores têm sempre a noção clara do que aconteceu. O Adán foi o primeiro a perceber o que aconteceu, toda a gente viu. A seguir ao primeiro golo ficou a pensar nisso, no segundo golo ficou a pensar no primeiro. Na expulsão ficou a pensar no segundo, portanto, nunca conseguiu reagir. Isso pode acontecer a qualquer jogado, mesmo a jogadores experientes.»

Para Amorim, «o importante é o jogador ter noção disso», porque se fosse «falar com o Antonio [Adán] e ele não tivesse noção, isso aí é que era grave».

O treinador comentou que «dias maus toda a gente tem» e concluiu: «Volto a dizer, o Adán na minha opinião é o nosso guarda-redes. É o guarda-redes para assumir a baliza, sendo que o Franco está preparado, o André está preparado e o Callai está a preparar-se. Neste momento, o Adán é a minha escolha.»

Um voto de confiança, que também pode transmitir a ideia de que o treinador não tem total confiança em Israel Franco. «Não transmito ideia nenhuma, os jogadores treinam e eu no final da semana escolho os jogadores que devem jogar. Não vamos encontrar razões para o que se passou. Teve um mau dia. O Franco tem de estar preparado para jogar, como teve o Max. Sou muito objetivo na observação que faço, não me interessa o que as pessoas dizem», destacou.

Resumindo, Ruben Amorim quer vencer nos Açores e, para isso, considera que Adán é o melhor para alcançar esse objetivo. «No fim, o que quero é ganhar ao Santa Clara. Olho para as capacidades do Adan, do Franco, do André e do Callai. Há momentos na carreira dos jogadores que as coisas não correm tão bem. Cabe-me a mim decidir se devo tirá-lo. Às vezes, nestes momentos, os jogadores precisam de ajuda. Entendo que o Adan deve continuar na equipa para equipa ganhar. O objetivo é vencer o jogo e acho que estamos mais perto de ganhar com o Adan. Quando achar que o Franco deve ser titular, vai ser titular, não olho a nomes. O Adan é o melhor jogador para defrontar o Santa Clara», disse ainda.

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados