Sporting visa atenuantes de Pepe e pede demissão do Conselho de Disciplina

19 abr, 23:19
FC Porto-Sporting

Comunicado dos leões no dia em que ficaram a conhecer-se os castigos após os incidentes no clássico com o FC Porto no Dragão para a Liga

O Sporting criticou a atuação do Conselho de Disciplina, cujos castigos referentes ao jogo para a Liga entre os leões e o FC Porto no Estádio do Dragão (2-2 a 11 de fevereiro) foram tornados públicos nesta terça-feira e pediu a demissão dos responsáveis do organismo.

Os leões começam por detalhar os motivos das sanções e contestam os castigos aplicados a Luís Gonçalves, dirigente do FC Porto, e a Pepe, que dizem ter beneficiado de quatro atenuantes. «A saber: prestação de serviços relevantes ao futebol; louvor por mérito desportivo; provocação (porque Hugo Viana “entrou no terreno de jogo”); e forte perturbação.» O Sporting alude ao «histórico disciplinar» de Pepe, recordando que em Espanha, quando jogava no Real Madrid, chegou a ser suspenso dez jogos por agressão a um adversário.

Ainda sobre Pepe, que já nesta terça-feira disse estar inocente dos factos que lhe são imputados e que sustentam o castigo de 23 dias, o clube lisboeta menciona vários comportamentos que justificavam um castigo mais pesado. «Durante o jogo procurou ocultar o arremesso de um projéctil para o terreno de jogo; após o final do jogo pontapeou e empurrou Hugo Viana perante o árbitro, o que este fez constar em relatório; causou a Hugo Viana um traumatismo que o Prof. Doutor José Carlos Noronha confirmou ser compatível com um pissão dado por jogador calçado com chuteiras de pitons de alumínio; negou tê-lo feito».

É aí que o Sporting contesta o sentido da aplicação de «circunstâncias atenuantes», remetendo também para comportamentos passados do jogador dentro de campo e questionando o castigo aplicado a Bruno Tabata, também suspenso por 23 dias. «Após o final do jogo empurrou Luís Gonçalves quando este agarrava o pescoço de Gonçalo Inácio. Confessou a infracção, beneficiou de uma circunstância atenuante (provocação) e foi punido com 23 dias de suspensão», lê-se.

Sobre Luís Gonçalves, o Sporting lembra que o dirigente portista foi punido com 68 dias, sendo que falta pouco mais de um mês até ao final da época.

O Sporting lembra que ainda não é conhecida qualquer decisão relativa à atuação de elementos da organização de jogo do FC Porto, que se envolveram em confrontos com jogadores da equipa lisboeta., e vinca que os mesmo «continuam e continuarão a estar presentes nos jogos disputados naquele estádio».

No mesmo comunicado, é ainda feita uma referência ao castigo de 45 dias aplicado a Hugo Viana na sequência de incidentes na noite da final Taça da Liga com o Benfica. «Hugo Viana (o mesmo que foi pontapeado e cujo agressor foi sancionado com 23 dias de suspensão) foi punido com 45 dias de suspensão por ter dito 'devias estar preso' ao motorista do presidente do SL Benfica», refere-se.

O Sporting contesta a forma como a justiça desportiva tem vindo a ser aplicada e remete para o excerto de um comunicado datado de 1 de fevereiro de 2021 no qual diz que não resta outro caminho aos membros do Conselho de Disciplina que não o da demissão. «A evidência da situação torna também evidente que este Conselho de Disciplina não tem condições para assumir a importante responsabilidade que é conduzir a disciplina desportiva profissional. Resta, portanto e apenas, o caminho da demissão.»

(artigo atualizado)

 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados