Sporting-Benfica na Youth League: tome nota destes nomes para o futuro

14 abr, 09:36
Dérbi Youth League

O dérbi desta tarde, em Alcochete, vale um lugar nas meias-finais, mas vale muito mais do que isso: serve para ver num grande jogo as estrelas do futuro. Por isso o Maisfutebol pediu ao treinador e analista Bernardo Gonçalves para indicar quem mais vai valer a pena seguir com atenção. Venha daí conhecê-los.

Esta quarta-feira há dérbi eterno na Youth League: Sporting e Benfica defrontam-se em Alcochete, pelas 15 horas, num jogo que vale o apuramento para as meias-finais da Champions de juniores. Quem ganhar já sabe que vai jogar a Turim, contra a Juventus, no último degrau antes da final.

Ora este é, portanto, um jogo grande entre os eternos rivais, mas é também um jogo grande na Youth League: uma competição que se habituou a revelar alguns dos maiorese craques.

Basta lembrar, por exemplo, que jogadores como Vitinha, Fábio Vieira, João Mário ou Diogo Costa começaram por brilhar quando o FC Porto foi campeão da Youth League.

Ou que Morato, Gonçalo Ramos, João Félix, Ruben Dias, Florentino, Gedson Fernandes, Jota, Diogo Gonçalves, Gonçalo Guedes, Nuno Santos e Renato Sanches já jogaram a final da competição, em três participações que o Benfica acabou por não conseguir ganhar.

O Sporting tem menos presenças na Youth League, mas ainda assim as suficientes para já ter revelado talentos como Luís Maximiano, Daniel Bragança, Jovane e Rafael Leão.

Está bom de ver, portanto, que a Youth League se tornou um viveiro de futuros craques.

Por isso o Maisfutebol falou com Bernardo Gonçalves, treinador das camadas de formação do Amora e analista especializado em futebol jovem, para tentar perceber que jogadores do dérbi desta quarta-feira vai valer a pena seguir com mais atenção. Bernardo Gonçalves aceitou o desafio e indicou seis jovens a quem antecipa um grande futuro.

Tome nota destes nomes e fique atento.

GONÇALO ESTEVES, Sporting - lateral direito, 18 anos

Lateral direito de 2004, cumpriu no fim de feveiro 18 anos e é já muito conhecido dos adeptos atentos. Integra de facto o plantel de Ruben Amorim e soma nove jogos pela equipa principal esta época (quatro na Liga, três na Taça e dois na Taça da Liga). Bernardo Gonçalves não tem por isso dúvidas em colocar expetativas muito altas em Gonçalo Esteves.

«Parece-me que é, a par do Rodrigo Ribeiro, aquele que tem mais potencial de entre todos os jogadores. Tanto no jogo exterior como a ligar por dentro em progressão é muito forte. Aliás, ele em condução, quando começa a embalar vindo de trás para a frente, é muito difícil de parar. Quando o vejo a jogar na Youth League sinto que já é um contexto que parece muito pouco desafiador para as capacidades dele, honestamente.»

 

RODRIGO RIBEIRO, Sporting - ponta de lança, 16 anos

É o mais novo de todos. Aliás, dos atletas que devem estar no dérbi, só Dário Essugo também nasceu em 2005: são os dois juvenis de segundo ano, portanto. Natural de Viana do Castelo, está no Sporting desde os doze anos, tem sido chamado por várias vezes ao plantel principal e já foi lançado por Ruben Amorim num jogo da Champions e num jogo da Liga.

Bernardo Gonçalves diz estarmos na presença de um excelente projeto de ponta de lança: aos 16 anos, Rodrigo Ribeiro já é dos jovens mais promissores da Youth League.

«É muito raro ver um avançado com tanta classe, com tanta qualidade técnica. É muito forte em apoio, aliás, são poucos em toda a competição que oferecem tantas capacidades no jogo associativo. Ele sempre jogou a ponta de lança, mas não é um ponta de lança de área, não é um jogador para fixar os centrais, é um avançado mais à imagem do Paulinho: gosta de oferecer apoios frontais, de receber nas costas dos médios adversários, de ser ele a fazer a ligação e a lançar por exemplo os extremos ou de criar superioridade no meio com os médios-centro. Ainda é juvenil de segundo ano, ou seja, está sempre a jogar com jogadores dois ou três anos mais velhos.»

 

MATEUS FERNANDES, Sporting - médio centro, 17 anos

Outro que já foi chamado por Ruben Amorim a trabalhar com o plantel principal, embora neste caso ainda não se tenha estreado pela primeira equipa. Natural de Olhão, começou a dar nas vistas no Olhanense e chegou ao Sporting com 12 anos para continuar a crescer em Alcochete. Aos 17 anos, garante Bernardo Gonçalves, já é um sólido projeto de jogador.

«É quase um box-to-box, é um médio com imensa facilidade em conduzir com bola, em chegar a zonas de definição, tem muita disponibilidade física. Fazendo uma analogia com a equipa principal a partir do perfil dos jogadores, é muito parecido com o Matheus Nunes: tem facilidade em sair da pressão e em progredir com bola», explica o analista de futebol juvenil.

 

DIEGO MOREIRA, Benfica - extremo esquerdo, 17 anos

Filho de Almani Moreira, antigo avançado formado no Boavista e que brilhou no Standard Liège e no Partizan, Diego Moreira nasceu na Bélgica em agosto de 2004 e jogou até aos 16 anos no futebol belga: Standard Liège, primeiro, e Lierse, no último ano. Assinou pelo Benfica em 2020, impôs-se na fábrica de talentos do Seixal e tornou-se internacional português.

«É de todos os jogadores aquele que tem mais capacidade de desequilíbrio. É extremamente forte não um para um, é rápido e é um extremo que ultimamente não temos formado tanto que é o extremo que joga com o pé do seu lado. Ou seja, ele é canhoto e joga no lado esquerdo. Agora é muito normal falar em extremos de pé contrário, a puxar para dentro, mas ele é mesmo um jogador de corredor exterior e de desequilibrar por fora. Não tem medo de ir no um contra um, é muito rápido e tem vários recursos técnicos. Dos extremos da competição é mesmo um dos que mais desequilibra», garante Bernardo Gonçalves.

 

TOMÁS ARAÚJO, Benfica - central, 19 anos

Nascido em 2002, vai em breve completar 20 anos: já sénior de primeiro ano. Vai ser por isso mais velhos em campo, ele que já soma três jogos na equipa principal: foi lançado por Jorge Jesus na Taça da Liga e foi suplente utilizado por Nélson Veríssimo em dois jogos da Liga. Natural de Famalicão, jogou sempre em clubes da zona, até que com 14 anos viajou para o Seixal.

«É um central de recorte fino, qualidade de passe, muita confiança mesmo a jogar com bola e a sair sob pressão. Não é um central muito forte nos duelos, também porque a sua fisionomia não o permite, mas tem uma leitura do jogo muito boa, é rápido e é muito difícil ganharem-lhe duelos na profundidade», explica Bernardo Gonçalves.

«Lá está, ele posiciona-se bem e consegue ler com qualidade os lances. Já não é júnior, já é sénior de primeiro ano, mas por causa daquelas exceções que existem nesta competição ainda pode jogar. Mesmo assim ele tem uma capacidade com bola muito forte, é dos melhores da competição. Por isso já trabalhou com a equipa principal.»

 

ANDRÉ GOMES, Benfica - guarda-redes, 17 anos

Outro caso de talento precoce. Nascido em 2004, cumpre a primeira temporada de júnior, mas tem feito a maior parte do ano na Liga Revelação. Natural de Ponte de Lima, começou a jogar na Academia local, até que foi descoberto com dez anos. Ficou na Casa Benfica de Póvoa de Lanhoso até cumprir 12 anos e ter idade para se viajar para o Seixal.

Bernardo Gonçalves confessa-se um admirador das qualidades de André Gomes, a quem consegue imaginar um excelente futuro.

«Para mim é mesmo o melhor guarda-redes da Youth League. Tem um jogo de pés fantástico, dentro dos postes também é muito forte e parece-me que depois do Diogo Costa é o maior projeto de guarda-redes que nós temos em Portugal. Ele é júnior de primeiro ano, mas no campeonato juniores ou na equipa sub-23 tem sido ele guarda-redes do Benfica.»

 

Sporting

Mais Sporting

Patrocinados