Nevermind: juiz arquiva queixa de pornografia infantil apresentada pelo "bebé" dos Nirvana

4 jan, 11:52
"Nevermind", Nirvana
"Nevermind", Nirvana

Spencer Elden tem até 13 de janeiro para contestar a decisão

PUB

A queixa de pornografia infantil apresentada por Spencer Elden, o bebé da capa do álbum Nevermind, contra os Nirvana foi arquivada pelo juiz Fernando M. Olguin, do tribunal distrital da Califórnia.

O caso foi arquivado com possibilidade de um alteração da queixa depois de os advogados de Elden terem falhado o prazo para contestar a defesa dos Nirvana em que era pedido que o processo fosse arquivado.

PUB

De acordo com a revista Spin, o "bebé" dos Nirvana tem agora até 13 de janeiro para contestar a decisão.

Em agosto, Spencer Elden avançou com uma ação judicial no tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, acusando os Nirvana de exploração sexual infantil e pornografia infantil. O jovem alegava que a sua imagem foi "traficada" por todo o mundo. 

O processo contava com 17 arguidos, entre eles o fotógrafo Kirk Weddle, Courtney Love (mulher de Kurt Cobain na altura) e os restantes elementos da banda, Dave Grohl e Krist Novoselic.

De acordo com a defesa, os pais deste jovem nunca assinaram qualquer documento que consentisse a utilização da fotografia, nem receberam qualquer compensação monetária por isso. 

PUB
PUB
PUB

O álbum "Nevermind" vendeu mais de 30 milhões de cópias em todo o mundo. Spencer recriou a imagem do disco quando fez 10 e 15 anos e decidiu fazê-lo novamente aos 25, com o fotógrafo britânico John Chapple. Na contestação do processo, os advogados da banda afirmam que Elden passou "três décadas a lucrar com a sua celebridade como o autointitulado 'bebé Nirvana'". 

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Música

Mais Música

Patrocinados