Sondagem TVI/CNN: Portugueses voltavam a dar vitória a Costa se eleições fossem hoje (mas Montenegro está a ganhar terreno)

20 jul, 20:05

Apesar da confiança renovada em António Costa e nos socialistas, o PSD de Luís Montenegro ganha terreno e reduz a distância nas intenções de voto. Tanto à esquerda como à direita não há uma tendência definida. Face a maio, a subir estão Chega e Bloco de Esquerda. A descer, os restantes

Se os portugueses fossem hoje às urnas, voltariam a dar o voto de confiança ao PS e a António Costa. Os socialistas conseguiriam arrecadar 38,9% dos votos, um valor 2,2 pontos percentuais abaixo da última edição da sondagem da Pitagórica para a TVI e CNN Portugal. E também abaixo do resultado alcançado em janeiro, 41,37%, que permitiu a eleição de 120 deputados e, com eles, a maioria absoluta.

Quem tira partido desta descida socialista é o PSD, agora liderado por Luís Montenegro. Os sociais-democratas reforçam posição face ao barómetro de maio, reunindo 24,9% das intenções de voto, mais 3,3 pontos percentuais. Um valor que fica, ainda assim, abaixo dos 27,67% conquistados pela liderança de Rui Rio na última ida às urnas.  

A distância entre Costa e Montenegro é agora de 14 pontos percentuais.

Tendências à direita

Se as legislativas fossem hoje, haveria um outro partido que não o Chega como terceira força política. A Iniciativa Liberal conseguiria 8,6% dos votos, quase duplicando os 4,91% de janeiro. Mas, face à sondagem de maio, os liberais de João Cotrim de Figueiredo perdem terreno.

Tendência contrária segue o Chega, com uma subida de 2,6 pontos percentuais nas intenções de voto em relação a maio. O partido de André Ventura receberia agora 8,3% dos votos, um valor superior aos 7,18% alcançados nas legislativas de janeiro. 

Já o CDS-PP, que ficou sem lugar na Assembleia da República em janeiro, com 1,6% dos votos, conseguiria hoje um resultado ligeiramente melhor. São 1,8% aqueles que admitem agora votar no partido liderado por Nuno Melo. Mas, face a maio, há uma ligeira descida. 

Tendências à esquerda 

Se à direita há tendências distintas (com PSD e Chega a reforçar e os liberais e centristas a cair), o mesmo se dá à esquerda: face à última edição da sondagem em maio, só o Bloco de Esquerda segue uma tendência positiva, ao contrário da CDU e do Livre.

Os bloquistas, liderados por Catarina Martins conseguiriam hoje um resultado melhor do que o alcançado em janeiro: 5,3%, acima dos 4,4% nas urnas. Já os comunistas, de Jerónimo de Sousa, teriam números ainda piores do que em janeiro: 3,9%, contra os 4,3% efetivados nas eleições.

O Livre, com 1,8%, conseguiria uma ligeira melhora face aos 1,28% de janeiro – mas, face à última edição da sondagem da Pitagórica para a TVI e CNN Portugal, perde terreno. Dos partidos com representaçao parlamentar, com uma nova ida às urnas, o PAN passaria a ter o pior resultado: 1,2%, abaixo dos 1,58% de janeiro. 

Opiniões divididas na hora de avaliar o Governo

Com o novo Executivo a caminho dos quatro meses de governação, as opiniões sobre a forma como António Costa lidera o Governo estão divididas: se 47% aprovam, outros 46% desaprovam. De salientar uma tendência na sondagem da Pitagórica para a TVI e CNN Portugal: quanto mais alta a classe social, maior o descontentamento com as medidas deste executivo. 

A luz vermelha à forma como o primeiro-ministro está a levar a governação adiante faz-se sentir sobretudo em indivíduos do sexo masculino, da classe social A/B, a residir no Sul e nas ilhas e pertencentes ao eleitorado do PSD, Chega e Iniciativa Liberal. Já o maior apoio à estratégia de Costa sente-se em indivíduos do sexo feminino, da classe social C2, a residir nas regiões Centro e em Lisboa, pertencentes ao eleitorado do PSD. 

A sondagem mostra ainda que a maioria dos inquiridos (47%) avalia o Governo como razoável. Contudo, crescem as avaliações negativas face a abril. São 18% aqueles que avaliam como Bom ou Muito Bom o atual elenco governativo. E 34% aqueles que o classificam como Mau ou Muito Mau. Esta última opção reúne, sozinha, 16% do total.

Ficha Técnica

Sondagem realizada pela Pitagórica para A TVI e CNN Portugal, com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com a atualidade nacional e internacional. O trabalho de campo decorreu entre os dias 21 de junho a 4 de julho de 2022, foram recolhidas 828 entrevistas telefónicas a que corresponde uma margem de erro máxima de +/- 3,48% para um nível de confiança de 95,5%.

A amostra foi recolhida de forma aleatória junto de eleitores Portugueses recenseados e foi devidamente estratificada por género, idade e região. A Taxa de resposta foi de 62,82% e a direção técnica do estudo é da responsabilidade de Rita Marques da Silva.

A ficha técnica completa, bem como todos os resultados, foram depositados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social que os disponibilizará para consulta online.

 

Relacionados

Partidos

Mais Partidos

Patrocinados