Saiba tudo sobre o Euro aqui

Sondagem: António Costa à frente de Guterres e Passos Coelho para as presidenciais

CNN Portugal , HCL
21 mai, 20:30

Ex-primeiro-ministro consegue a preferência de 17% dos inquiridos da sondagem da IPESPE Duplimétrica para a CNN Portugal. Marques Mendes, o único nome que assumiu interesse em ser sucessor de Marcelo Rebelo de Sousa, fica atrás de Gouveia e Melo

António Costa é o nome preferido dos portugueses para uma candidatura às próximas Presidenciais, segundo uma sondagem feita pela IPESPE Duplimétrica para a CNN Portugal, que coloca o ex-primeiro-ministro à frente de nomes como António Guterres, Passos Coelho ou Marques Mendes. 

Para 17% dos inquiridos - e para a maioria do eleitorado do PS - António Costa seria o melhor sucessor de Marcelo Rebelo de Sousa, estando 4 pontos percentuais à frente de Guterres, que aparece como segundo classificado no resultado desta sondagem - obtendo a preferência de 13% dos votantes. 

Já Passos Coelho, que terá o apoio do Chega caso se candidate, como afirmou já André Ventura, aparece em igualdade percentual com Guterres e revela-se a melhor escolha para a maior parte dos portugueses que manifestaram intenção de votar AD nas próximas eleições europeias. 

A batalhar pelo quarto e quinto lugares nesta sondagem estão Gouveia e Melo - que é o melhor candidato para 10% dos portugueses - e Marques Mendes que, apesar de ser o único nome até ao momento a assumir uma possível candidatura, não vai além dos 7%. Atrás destes cinco, surgem Paulo Portas, Durão Barroso, André Ventura e Mário Centeno com 5% de intenções de voto cada um.  

Ficha técnica: 

A presente sondagem foi realizada pelo IPESPE/ Duplimétrica para a TVI e a CNN Portugal.  As entrevistas aleatórias por cotas foram realizadas nos dias 6 a 13 de maio de 2024. Foram realizadas 800 entrevistas, representativas do eleitorado recenseado de Portugal, com 18 anos e mais, tendo por base os critérios de género (53% mulheres e 47% homens), idade (24% com 18 a 34 anos; 33% com 35 a 54 anos; e 43% com 55 anos e mais), e região (19% Norte, 15% Grande Porto, 22% Centro, 27% Lisboa, 12% Sul e 5% Ilhas).

Os percentuais que não totalizam 100% são decorrentes de arredondamento de decimais e/ou de múltiplas alternativas de resposta. ▪ A margem de erro máxima para o total da amostra é de 3,5 pontos percentuais, para um grau de confiança de 95,45%. A seleção dos entrevistados foi realizada através de geração aleatória de números de “telemóvel”, mantendo um proporção aproximada dos três principais operadores móveis. Quando necessário, foram selecionados aleatoriamente números fixos para apoiar o cumprimento do plano amostral. 

As entrevistas foram recolhidas através de entrevista telefónica (CATI – Computer Assisted Telephone Interviewing). A taxa de resposta foi de 59,97%. O estudo teve como objetivo avaliar a opinião dos eleitores portugueses sobre temas relacionados com o novo Governo e também com as eleições europeias, a serem realizadas em Portugal no dia 9 de junho de 2024. É importante salientar que os resultados das sondagens não são prognósticos, já que retratam opiniões e atitudes declaradas e não o comportamento efetivo dos eleitores. Além da margem de erro, acrescente-se a incerteza acerca da abstenção, não captada pelas sondagens pré-eleitorais, em que os absenteístas expressam disposição de comparecimento às urnas. A ficha técnica completa e os resultados desta sondagem foram depositados junto da Entidade Reguladora da Comunicação Social.

Poder

Mais Poder

Patrocinados