Acontece aos Melhores: câmara municipal arranja estrada, mas só pela metade

22 nov, 22:00

Via que liga a aldeia de Fungalvaz, no concelho de Torres Novas, à freguesia de Alburitel, no concelho de Ourém foi requalificada, mas só em metade do percurso. População desespera

PUB

As freguesias de Assentis, no concelho de Torres Novas, e de Alburitel, no concelho de Ourém, são ligadas há várias centenas de anos por uma estrada da época dos Templários.

Se, no passado, o caminho estreito e em terra satisfazia as necessidades dos meios de transporte usados, nas últimas décadas as condições da via só complicaram a vida a quem precisa de a cruzar diariamente.

PUB

"Sempre me lembro daquilo ser de terra batida. De ano a ano, como a água no inverno é muita, abre valas e buracos que tornam a estrada insuportável de percorrer", conta Ângelo Filipe, taxista, ao Acontece aos Melhores, rubrica do Jornal das 8 da TVI, do mesmo grupo que a CNN Portugal.

Por isto mesmo, os habitantes de Fungalvaz, a aldeia da freguesia de Assentiz onde a via começa, há muito que anseiam por ver a estrada requalificada com um pavimento em alcatrão. Há muito também que a Câmara Municipal de Torres Novas promete reparar aquele caminho.

"Desloquei-me ao local, percebi o quanto era importante esta ligação, e prometi-lhes", conta Pedro Ferreira, autarca de Torres Novas.

PUB
PUB
PUB

Vinte anos depois das primeiras promessas, sete depois de subir ao poder, Pedro Ferreira mandou alcatroar a estrada, numa obra que custou 198 mil euros. O alcatrão apareceu, em setembro deste ano, mas apenas em metade da estrada.

A pessoa chega ali, encontra alcatrão, estrada boa. De um momento para o outro, aparece terra batida, que ninguém gosta", lamenta Ângelo Filipe. 

A explicação para a obra está no facto de esta estrada municipal ligar a aldeia de Fungalvaz, no concelho de Torres Novas, à freguesia de Alburitel, já no concelho de Ourém. Como a via atravessa a fronteira de dois municípios, a Câmara Municipal de Torres Novas requalificou a metade da estrada que lhe pertence. A outra metade, já em Ourém, ficou por reparar.

"Justamente porque há esta divisão territorial, uma das câmaras municipais está a fazer o que lhe compete fazer, que é manter a estrada, e a outra claramente não está a fazer. Mas se me pergunta se uma câmara municipal tem competências para ir fazer a manutenção de uma estrada cuja delimitação territorial recaia noutro município, também lhe respondo que não", considera a advogada Rita Garcia Pereira.

PUB
PUB
PUB

Para a população das duas freguesias, teria feito muito mais sentido as duas câmaras municipais unirem-se para fazer a obra, pelo facto de o preço total da empreitada ser mais baixo e também porque a obra ficaria pronta ao mesmo tempo, deixando a estrada em condições de utilização de uma só vez.

Sobre o desencontro das duas câmaras municipais em relação à execução da obra, Rita Garcia Pereira faz uma avaliação clara: "Deveriam ter-se articulado, mas, em caso de não existir essa articulação, não há possibilidade de as obrigar, ambas, a fazerem esse arranjo em simultâneo. O que é há é uma responsabilidade por omissão da câmara que não arranja a sua parte da estrada, isso sim."

O presidente da Câmara Municipal de Torres Novas garante ao Acontece aos Melhores que já cumpriu a parte que lhe compete, que foi requalificar a parte da estrada no concelho que lidera. Daí em diante, terá de ser o presidente da Câmara de Ourém a cumprir a sua parte, e a requalificar a outra metade da estrada, uma obra que também já é prometida há vários anos.

PUB
PUB
PUB

A única coisa que há a fazer é a pressão política junto da Câmara Municipal de Ourém. Pode ser que o Acontece aos Melhores ajude", conclui a advogada Rita Garcia Pereira.

O Acontece aos Melhores convidou o presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Albuquerque, no dia 16 de novembro, para uma entrevista. Dois dias depois, no dia da entrevista e perantes das câmaras da TVI, a estrada começou a ser reparada do lado de Ourém.

"Assinámos a consignação da obra, que é já a parte final administrativa de todo o processo, o que significa que, a partir de agora, os prazos para execução já estão por conta do empreiteiro. Quase que, garantidamente, até ao dia 15 de dezembro, as pessoas podem servir-se desta estrada, porque é uma velha ambição da freguesia de Alburitel, que será uma realidade a curto prazo. Será uma prenda de Natal interessante para a freguesia de Alburitel", afiança Luís Albuquerque, o presidente da Câmara Municipal de Ourém.

Se tem um problema que não consegue resolver, pode escrever para o e-mail aconteceaosmelhores@tvi.pt

PUB
PUB
PUB

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

País

Mais País