Sindicatos e Governo chegam a acordo para incluir grelha salarial dos médicos nas negociações

Agência Lusa , JGR/AM - notícia atualizada às 6:03
27 jul, 00:38
Médicos de família em protesto: “Esta situação é totalmente inaceitável” (Fonte: Lusa/JOSE SENA GOULÃO)

O presidente da FNAM adiantou que, para além dos temas que já estavam previstos, como a dedicação plena, a valorização do trabalho em serviço de urgência e a regulamentação da organização do trabalho médico

Governo e sindicatos acordaram esta terça-feira incluir a grelha salarial dos médicos do Serviço Nacional de Saúde nas negociações entre as duas partes que agora se vão iniciar, anunciou hoje uma das estruturas sindicais representativas desses profissionais de saúde.

“Após cedências bilaterais que são necessárias nestes processos negociais, podemos dizer que estamos em condições de iniciar este processo negocial, com o acordo sobre o protocolo” que estabelece os temas que serão alvo de negociação, adiantou o presidente da Federação Nacional do Médicos (FNAM).

Noel Carrilho falava aos jornalistas após uma reunião de mais de sete horas com o Ministério da Saúde, em que também participou o Sindicato Independente dos Médicos (SIM), para acertarem os termos das negociações, com as estruturas representativas dos clínicos a alertarem, previamente, que não abdicariam da exigência de incluir a tabela salarial no protocolo negocial.

O presidente da FNAM adiantou que, para além dos temas que já estavam previstos, como a dedicação plena, a valorização do trabalho em serviço de urgência e a regulamentação da organização do trabalho médico, a reunião permitiu assegurar “também o compromisso da grelha salarial dos médicos” nas negociações que agora se vão iniciar.

“Isso foi acordado e temos uma abertura para desenvolver um processo negocial com sucesso, que apenas agora se inicia”, adiantou Noel Carrilho, para quem o acordo hoje alcançado pode ser um “bom sinal” para atrair mais médicos para o Serviço Nacional de Saúde.

Governo congratula-se com acordo 

A secretária de Estado da Saúde, Maria de Fátima Fonseca, congratulou-se esta noite com um acordo com os sindicatos médicos em relação a um protocolo negocial que vai ser negociado e que inclui a grelha salarial.

É um processo que “marca de facto o início de uma negociação substantiva em torno de temas como o regime de dedicação plena no Serviço Nacional de Saúde (SNS), que figura no programa de Governo e que iremos cumprir, também o tema da organização do trabalho em serviço de urgência, que se tornou por demais evidente que é necessário abordar de uma forma estruturada, e outros temas relacionados com a grelha salarial e com a valorização dos trabalhadores médicos”, disse Maria de Fátima Fonseca aos jornalistas

A responsável assinalou que este processo negocial se junta a outros que já estão em curso, com outros grupos profissionais, porque só de forma estruturada serão possíveis reformas que levem o SNS para “outros patamares de resposta aos cidadãos”, disse.

A secretária de Estado disse que do processo negocial sairão medidas em momentos diferentes, para resolver questões relevantes para os profissionais e para o SNS, e frisou que as medidas de caráter estrutural só conseguem ser acordadas através de negociações com os sindicatos dos trabalhadores.

Governo

Mais Governo

Patrocinados