Mãe de Jéssica diz que alegados sequestradores agrediam a criança para ela ouvir ao telefone

23 jun, 20:00
O momento em que a mãe da menina sai em silêncio após declarações da PJ

Mãe da criança de três anos que morreu vítima de agressões disse às autoridades que devia 800 euros ao casal que lhe sequestrou a filha, e que Jéssica era agredida quando ela telefonava para saber notícias. Não foi à polícia com medo de represálias

A mulher que é suspeita de ter sequestrado e agredido até à morte, juntamente com o marido e uma filha, uma criança de três anos, em Setúbal, tê-lo-á feito para pressionar a mãe da menina a pagar-lhe uma dívida de cerca de 800 euros, chegando a agredir Jéssica durante as chamadas que a mãe fazia para saber notícias da filha durante os dias em que a criança esteve em cativeiro.

Segundo disse a mãe de Jéssica à Polícia Judiciária, as agressões à filha eram uma forma de pressão sobre ela, para que entregasse o dinheiro. Contou mesmo às autoridades que, quando ligava para o casal para saber notícias de Jéssica, estes punham a criança ao telefone a chorar, agredindo-a naquele momento. Jéssica seria torturada para que a mãe ouvisse e, assim, fizesse o pagamento exigido. 

A CNN Portugal apurou ainda que a suspeita nunca foi ama da criança e que esta versão foi uma invenção da mãe de Jéssica para justificar ter entregado a filha aos cuidados da mulher a quem devia dinheiro. Às autoridades, a mãe da criança de três anos revelou que não alertou a polícia para o rapto da filha porque estava sob ameaça do casal que a levara. A origem da dívida estará relacionada com bruxaria: a mulher que raptou Jéssica terá feito rezas a pedido da mãe da criança, para lhe resolver problemas conjugais; foi cobrando dinheiro e exigindo mais, até que a vítima deixou de pagar. Então atraiu-a a mais um  encontro, em que a iria ajudar com uma última reza - sugerindo que a mulher levasse também a filha, que ficaria a brincar com neta dela durante a "consulta". E a criança foi raptada nesse momento.

Só na noite de quarta-feira, depois de interrogar os suspeitos do rapto - um casal e filha deles-, bem como a mãe e o padrasto de Jéssica, a PJ conseguiu esclarecer os contornos dos crimes, quando a mãe da criança revelou, por nada ter a perder, que tinha sido ameaçada para nada contar às autoridades, temendo que a filha sofresse represálias pela dívida que não conseguia pagar.

A Polícia Judiciária revelou em comunicado, divulgado na manhã desta quinta-feira, que identificou e deteve um homem de 58 anos e duas mulheres, de 52 e 27 anos, "por sobre eles recaírem fortes indícios da prática dos crimes de homicídio qualificado, ofensas à integridade física grave, rapto e extorsão" na sequência da morte da menina de três anos, ocorrida no passado dia 20 de junho. "Os detidos serão presentes a primeiro interrogatório judicial para aplicação das medidas de coação tidas por adequadas", informa ainda a declaração. 

As duas mulheres, sabe a CNN Portugal, ficaram detidas no estabelecimento prisional de Tires. O homem passou a noite na prisão junto à sede da Polícia Judiciária em Lisboa. Os três serão levados esta quinta-feira ao tribunal de Setúbal. A mãe e o padrasto de Jéssica saíram em liberdade.

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados