«Acho que para os jogadores o Espanha-Irão de ontem foi um alerta»

Sérgio Pereira , Enviado-especial à Rússia, em Kratovo
21 jun 2018, 14:38
Fernando Santos

Fernando Santos diz que é importante não menosprezar a seleção de Carlos Queiroz, caso contrário as coisas vão correr mal.

No calendário de Portugal segue-se o jogo com o Irão, na segunda-feira, em Saransk, pelas 19 horas de Lisboa. Um jogo que a Seleção Nacional não pode perder e para o qual convém que esteja avisado.

«O Espanha-Irão, mais do que o Marrocos-Irão, é um excelente alerta para nós. Conheço bem a equipa do Irão, mas acho que para os jogadores o jogo de ontem foi um importante alerta. Eles viram que esta é uma equipa muito difícil», frisou Fernando Santos.

«Portugal não pode jogar para empatar. Portugal tem de jogar para vencer, sendo forte quando tiver a bola. Mas obviamente que não se pode expor: o Irão defende bem e explora o contra-ataque. Por isso não podemos desorganizar-nos no momento ofensivo, não podemos descurar a organização quando estamos a atacar. Já vamos ter muitos problemas, mas se nos pusermos a jeito vamos ter muitos mais.»

De resto, e depois de dois jogos em que a Seleção Nacional teve menos bola do que o adversário, Fernando Santos espera que frente ao Irão as coisas corram francamente melhor.

«Acredito, espero e desejo que tenhamos um Portugal mandão frente ao Irão. Porque essa é a nossa forma de jogar. Quando se quer ganhar, é preciso tocar violino e tocar bombo: temos de encontrar um equilíbrio entre ser agressivos, ganhar mais disputas, e atacar bem.»

No entanto, e acima de tudo, Fernando Santos quer pontuar. Porque esse é o resultado que lhe garante logo o apuramento.

«Portugal quer acabar nos dois primeiros, isso é seguro. Não quero saber para nada se acaba em primeiro ou em segundo. Quero é estar nos oitavos de final.»

Somos amigos antes e depois do jogo. Até lá vai cada um preparar o seu jogo e querer vencer.

 

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados