Santos: «República Checa? A Espanha empatou aqui no último minuto»

23 set, 17:38

Selecionador alerta para as dificuldades que o adversário pode colocar este sábado na penúltima jornada da Liga das Nações

Fernando Santos alertou para as dificuldades que a República Checa pode colocar a Portugal este sábado, no penúltimo jogo da fase de grupos da Liga das Nações. O selecionador recordou que os checos fizeram um bom Europeu, que impuseram um empate à Espanha, em casa, e também já tornaram a vida difícil a Portugal no primeiro jogo no Estádio de Alvalade.

«Vamos pensar nesta República Checa pelo que ela já fez até agora, não só aqui na Liga das Nações, mas também nos últimos anos, principalmente até 2021, até ao Euro2020. Foi uma equipa que fez um torneio muito, muito bom. Tem muita qualidade, os jogadores criaram muitos problemas aos adversários e continuaram isso nesta outra fase aqui na Liga das Nações. Basta perceber que aqui, em casa, a Espanha empatou no último minuto, num jogo de elevadíssima dificuldade para a Espanha. Ganhou à Suíça, portanto é uma equipa de qualidade, com muitos jogadores que atuam em bons campeonatos», começou por enunciar em conferência de imprensa.

Portugal, no primeiro jogo, em Alvalade, venceu por 2-0, com golos de João Cancelo e Gonçalo Guedes. «Portugal foi um justo vencedor, como disse a seguir ao jogo, mas o adversário criou-nos variadíssimos problemas. Teve três, quatro ou cinco situações que nos podia ter criado mossa maior. É verdade que nós também criámos as nossas chances. Conhecemos bem o adversário, jogamos há relativamente pouco tempo, os jogadores sabem o que podem contar», prosseguiu.

Fernando não espera muitas mudanças na República Checa, mas também que Portugal também terá de procurar assumir o jogo. «Espero uma equipa semelhante, acho que o perfil não vai mudar muito. O que a equipa portuguesa sabe é que tem de olhar para si própria, ter um enorme respeito por todos os adversários e respeitamos muito a equipa checa nas suas qualidades, técnicas e táticas, mas sabemos o que temos de fazer. Temos um único objetivo, como dizia o Ruben, que passa por ganhar. Para ganhar temos de impor o nosso jogo, lá dentro. Cá fora não vai servir para nada, lá dentro temos de por lá todas as nossas capacidades na organização do jogo, nas dinâmicas e sermos melhores contra uma equipa que sabemos que vai lutar muito, vai trabalhar bem. Temos de resolver o problema dentro do campo, se queremos vencer, temos de demonstrar lá dentro que somos capazes de o fazer», destacou ainda.

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados