Roberto Martínez: «Ronaldo não estava pronto para se afastar da seleção»

31 mai, 11:11
Roberto Martínez (JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA)

O selecionador de Portugal justificou a chamada do avançado do Al Nassr em março

Um dia depois de ter estado na cerimónia da entrega do prémio de melhor treinador da Premier League, Roberto Martínez esteve presente no programa da manhã da talkSport e abordou vários temas da seleção nacional.

O técnico espanhol explicou por que razão decidiu integrar Cristiano Ronaldo na primeira convocatória de Portugal após o Mundial 2022 apesar de o capitão jogar na Arábia Saudita.

«Há sempre muito debate e muitas questões sobre todos os jogadores e as suas carreiras depois de um Mundial. Era impossível para mim tomar decisões num gabinete. As decisões futebolísticas têm de ser tomadas num campo de futebol. Cheguei à seleção portuguesa a 9 de janeiro e tive seis semanas para me encontrar com todos os jogadores que foram convocados para o Qatar. Foi fascinante ver todos os jogadores e a forma como desenvolveram as suas funções nos diferentes balneários das várias ligas. Tive a oportunidade de conhecer a pessoa por trás do jogador de futebol e para mim, foi um momento muito claro», começou por dizer.

«Conheci todos os jogadores e percebes o que significa para eles jogar futebol. Cristiano não estava pronto para se afastar da seleção. Ele queria fazer parte do novo ciclo e a partir daí, foi fácil incluí-lo no estágio de março e só depois tomar uma decisão no campo. Ele marcou quatro golos, foi um verdadeiro líder e é alguém que traz uma experiência que nenhum outro jogador no futebol mundial tem. É alguém que pode chegar às 200 internacionalizações e que precisas de saber utilizar no balneário», acrescentou.

Martínez foi ainda questionado sobre Rafael Leão, jogador a quem deixou vários elogios. «Ele joga com um sorriso e de forma instintiva. Tem muito talento. Não vejo outra equipa com um jovem tão influente. Esta época o AC Milan bateu o Nápoles por causa do Leão. Precisamos de lhe dar outro papel na seleção, é a nossa responsabilidade», referiu. 

O técnico, de 49 anos, desvalorizou possíveis divirgências entre jogadores da seleção que atuam por clubes rivais em diferentes campeonatos e frisou que a seleção de Portugal «tem muitas semelhanças» com a da Bélgica.

«(...) Portugal tem muitas semelhanças com a geração que tínhamos na Bélgica. São países que têm 11 milhões de habitantes. Por isso, há muitas parecenças na forma como os jogadores são educados e a forma como se trabalha na formação também é muito parecida. Há três gerações num balneário em Portugal, o que torna tudo especial», concluiu.


 

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados