Neto preocupado com Jéssica Silva: «Esperemos que não seja nada»

29 jun, 08:45
Jéssica Silva (getty)

Avançada da seleção saiu lesionada do «teste» com a Austrália a poucos dias da fase final do Campeonato da Europa

Francisco Neto, responsável pela seleção feminina portuguesa, disse que «a equipa está no ponto» que pretendia, depois do empate diante da Austrália (1-1), no Estoril, naquele que foi o último teste de preparação para a fase final do Europeu, mas também manifestou-se preocupado com a lesão de Jéssica Silva.

- Não estivemos muito tempo em organização defensiva porque fomos muito competentes no momento da perda. Conseguimos retirar espaços e ganhámos bola, foi algo que queríamos ver na equipa e que queríamos trabalhar. Tivemos sucesso e, algumas vezes, insucesso. Há algumas ações que temos de melhorar, como no golo [sofrido].

- As próprias jogadoras disseram que desfrutaram do jogo dentro de campo. Tivemos a equipa tranquila, a saber o que fazer, com muita alegria e, mesmo as coisas que não correram tão bem, elas sabem porquê e onde têm de corrigir.

- Felizes pelas coisas boas, com a certeza do que temos de melhorar. Foi bom para dar minutos a muita gente. Ainda hoje conseguimos e demos, em função do que foi o jogo, minutos e ritmo competitivo. Ainda teremos mais alguns dias para continuar o nosso crescimento. Concluímos este segundo momento de preparação. O primeiro foi mais connosco, o segundo foi mais competitivo e o terceiro será o lado mais estratégico da preparação.

- A Jéssica Silva vai ter de ser reavaliada. Saiu porque não quisemos arriscar. O departamento médico aconselhou, o risco, neste momento, tem de ser mínimo. Esperemos que não seja nada.

- A equipa está no ponto que queria neste momento, em função do que tínhamos trabalhado. Agora, temos um treino de recuperação e dois dias de folga, onde as jogadoras farão recuperação ativa e, depois, entrarão novamente em estágio. Vão ter agora dois dias finais para estarem com a família e, depois, viramos todas as atenções para os adversários. Estamos mais próximos do que quero, mas ainda faltam oito dias de treinos com as jogadoras, que nos vão permitir continuar a crescer.

- Nestes dias, fui eu que lhes dei os minutos. No Europeu, vão ter de ser elas a ganhá-los. Com o que têm feito até agora, a possibilidade de haver muitas jogadoras com minutos é grande, porque o empenho e intensidade têm sido grandes. Há jogadoras que não jogaram hoje e não é por isso que não vão jogar daqui para a frente.

Relacionados

Seleção

Mais Seleção

Patrocinados