Inspetor do SEF suspeito de violação no aeroporto de Lisboa 

20 out, 19:58
Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Um inspetor do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras está sob investigação da Polícia Judiciária, e do DIAP de Lisboa, por suspeitas de violação de uma mulher estrangeira no aeroporto, apurou a CNN Portugal, precisamente na mesma altura em que o ucraniano Ihor Homeniuk foi ali assassinado por outros três inspetores do SEF, na primavera de 2020. 

Neste caso, o suspeito já foi identificado pela mulher no meio de mais de 10 homens que foram colocados numa linha de reconhecimento. E os factos que são descritos já foram reconstituídos no aeroporto de Lisboa.

A mulher de 35 anos aterrou em Lisboa e foi levantada a suspeita de que, em vez de turismo, pretendesse ficar numa situação de permanência ilegal no espaço Schengen. Segundo ela, foi transportada numa viatura sozinha com um inspetor do SEF até ao Centro de Instalação Temporária do aeroporto - local onde Ihor Homeniuk foi assassinado -, e acabou fechada numa sala sem câmaras de videovigilância, onde foi violada pelo inspetor.

Alega ter ficado em silêncio por medo e vergonha, e acabou repatriada dias depois. Já no seu país contou ao namorado o que se passara e, juntos, viajaram até Lisboa para apresentarem queixa e colaborarem com todas as diligências de investigação. 

A mulher já foi ouvida mais do que uma vez e não teve dificuldade em identificar o suspeito.

Contactada pela CNN, fonte oficial do SEF recusou revelar que consequências disciplinares teve o caso, nomeadamente se o inspetor em causa foi alvo de suspensão. No entanto, o SEF realça que o caso foi inicialmente participado como de assédio sexual e não de violação. Acontece que assédio não configura qualquer crime no Código Penal e a CNN sabe que a investigação apurou a existência de eventuais indícios de violação.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados