SEF investiga juntas de freguesia em Lisboa

12 ago, 07:10
Controlo nas fronteiras terrestres (Lusa/Nuno Veiga)

REVISTA DE IMPRENSA. Em causa estão centenas de atestados de residência dos cidadãos estrangeiros, documentos passados pela junta, em que constam dados de morada falsos

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) está a investigar, pelo menos, três juntas de freguesia do concelho de Lisboa por esquemas fraudelentos para a obtenção de autorização de residência para imigrantes, avança a edição desta sexta-feira do jornal Expresso.

Segundo o semanário, em causa estão centenas de atestados de residência dos cidadãos estrangeiros, documentos passados pela junta, em que constam dados de morada falsos. Este documento é requisito obrigatório para que os cidadãos estrangeiros possam legalizar a sua permanência no país.

O esquema, que não é novo, chamou a atenção às autoridades porque há moradas com mais de uma centena de atestados emitidos e muitas destas moradas são garagens, lojas ou escritórios. Ou seja, o documento emitido pela junta é verdadeiro, mas a informação que nele consta é falsa. 

O SEF está agora a investigar qual o papel da junta num processo sobre uma rede de auxílio à imigração ilegal que usa facilitadores, ou seja, se estão a ser apenas usadas pelas redes, que se aproveitam da impossibilidade fiscalizadora dos serviços, ou se há elementos envolvidos ou coniventes que, a troco de dinheiro, facilitam o processo.

O caso já foi participado ao Ministério Público.

País

Mais País

Patrocinados