"Uma nova realidade", nunca chegaram tantos passageiros de avião a Lisboa: a justificação do SEF para os atrasos no aeroporto

Beatriz Céu , com Lusa
13 jun, 17:11

Em declarações aos jornalistas, Ana Vieira, inspetora do SEF, salienta que, em "muitos anos" a trabalhar naquele serviço, "nunca aconteceu um volume de passageiros a este nível". "Tudo isto é uma nova realidade", aponta

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) justificou esta segunda-feira os constantes atrasos na zona de chegadas do aeroporto de Lisboa com um pico de passageiros sem precedentes.

Em declarações aos jornalistas, Ana Vieira, inspetora do SEF, salienta que, nos "longos anos" em que trabalhar naquele serviço, "o volume de passageiros nunca chegou a este nível". "Tudo isto é uma nova realidade", aponta.

No domingo, por exemplo, dia em que a zona de chegadas do aeroporto de Lisboa registou filas de espera de mais de três horas, a responsável indica que "foram controlados ao longo de todo o dia cerca de 26 mil passageiros", mesmo com várias posições do SEF por ocupar.

"Hoje, entre as 05:00 e as 14:00, foram controlados mais de 11 mil passageiros, durante este período as posições estiveram completas, e ainda assim resultou uma espera de duas horas", acrescenta aos jornalistas.

Para responder a este pico de passageiros, o SEF está a preparar um plano de contingência, que, de acordo com a inspetora, "atingirá o seu pleno no dia 4 de julho, data em que estará completo o reforço de 102 elementos no aeroporto de Lisboa, 49 no Porto e 45 em Faro".

Questionada sobre se este reforço de operacionais será suficiente para dar resposta ao aumento de passageiros, Ana Vieira respondeu que este plano terá de ser "adequado à realidade", isto é, consoante o número de passageiros que chegam a Lisboa.

Demoras "acentuadas" este domingo em Lisboa

Cerca de uma hora antes, o SEF já tinha esclarecido, em comunicado, que no domingo ocorreu no aeroporto de Lisboa um pico de passageiros, incluindo cerca de 3.000 provenientes de voos a controlar pelos agentes de fronteiras, o que provocou "demoras acentuadas".

No texto, o SEF adianta que na manhã de domingo "não foi possível ao serviço preencher, temporariamente, as posições adequadas ao elevado fluxo de passageiros", tendo sido "necessário reforçar a segunda linha com inspetores, em detrimento dessas posições, face ao muito elevado número de passageiros intercetados no controlo da primeira linha e que aguardavam entrevista para elaboração de relatórios de ocorrência e decisão sobre a entrada ou a recusa no país".

Segundo o SEF, a situação "acabou por ficar regularizada só a meio da tarde".

O SEF assinala porém que "no âmbito da monitorização permanente do Plano de Contingência para o Verão IATA, nos aeroportos de Faro e do Porto, também sujeitos a grande pressão, face ao numero de passageiros controlados, não foram registados quaisquer constrangimentos".

Diz o SEF que em apenas dois dias - sábado e domingo - foram controlados nas fronteiras aéreas mais de 100 mil pessoas, designadamente cerca de 50 mil em Lisboa, 36 mil em Faro e 10 mil no Porto.

"Neste fim de semana, e só no aeroporto de Lisboa, verificaram-se três detenções por uso de documento fraudulento, sete recusas de entrada, quatro pedidos de asilo na fronteira e o controlo de 16 passageiros em trânsito com recusa de entrada noutros aeroportos (designadamente Cancun)", precisa o SEF.

O SEF recorda que o Plano de Contingência para os aeroportos portugueses – também implementado em anos anteriores – iniciou-se a 2 de junho e estará a funcionar em pleno só a partir de 4 de julho, altura em que o reforço de 238 efetivos do SEF e da PSP ficará completo, totalizando 529 elementos.

"Ainda esta semana está previsto no referido Plano de Contingência, a partir de 15 de junho, o aumento do reforço interno nos aeroportos de Lisboa e Porto, por elementos de outras unidades do SEF, num esforço crescente de empenhamento que é gradual até ao mês julho", explica o SEF.

Os três aeroportos mais reforçados ao longo deste período com recursos humanos - indica o SEF - são o de Lisboa (mais 102 elementos policiais, ou seja +73% do efetivo), Porto (mais 49 elementos, +122%) e Faro (com mais 45, representando +76%).

O SEF refere ainda que esta semana também está programado o alargamento da utilização das e-gates, no projeto RAPID4ALL, a mais duas nacionalidades, designadamente Canadá e EUA, aumentando para sete as nacionalidades que passam a poder usar esta funcionalidade nas entradas nos aeroportos nacionais.

VEJA TAMBÉM:

Novo Dia CNN

5 coisas que importam

Dê-nos 5 minutos, e iremos pô-lo a par das notícias que precisa de saber todas as manhãs.
Saiba mais

País

Mais País

Patrocinados