Incêndios: suspeito de atear fogos em Sardoal ficou em prisão preventiva

Agência Lusa , NM
29 ago, 16:20
Incêndios (Lusa/Paulo Cunha)

De acordo com a Polícia Judiciária, “não foram apuradas motivações em concreto” para os crimes

O homem de 43 anos detido na quarta-feira por suspeita de ter ateado vários incêndios florestais no concelho de Sardoal ficou em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, anunciou esta segunda-feira a Polícia Judiciária (PJ).

Em declarações à Lusa, fonte da PJ de Leiria explicou que o homem, “funcionário público e inserido na comunidade”, ficou “em prisão preventiva” depois de ter sido presente a um juiz, tendo sido “indiciado pela autoria de vários crimes de incêndio florestal, ocorridos, pelo menos, desde julho deste ano” em Sardoal, no distrito de Santarém.

A mesma fonte disse ainda que “não foram apuradas motivações em concreto” para a prática dos crimes de que está indiciado.

O homem foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) na quarta-feira, numa operação articulada com a GNR local, depois de ter sido identificado como suspeito da autoria material de vários crimes de incêndio florestal ocorridos naquele concelho.

“Trata-se de um homem de 43 anos de idade, residente na zona do Sardoal”, refere a PJ no comunicado, dando conta que, “dos incêndios em causa resultaram elevados prejuízos patrimoniais e para o meio ambiente, consubstanciados na destruição de extensa área florestal”.

A PJ de Leiria explicou ainda que a detenção decorreu após trabalhos de investigação do Departamento de Investigação Criminal de Leiria, em articulação com o Grupo de Trabalho para a Redução das Ignições em Espaço Rural (GT), na sequência de vários incêndios florestais verificados no concelho do Sardoal, em datas e momentos não mencionados.

Relacionados

Crime e Justiça

Mais Crime e Justiça

Patrocinados