Mulheres, livres e solidárias com Sanna Marin. Finlandesas enchem redes sociais com vídeos a dançar em apoio à primeira-ministra

21 ago, 17:48

Nas imagens, podem ver-se várias mulheres a dançar, acompanhadas ou com amigos. Algumas divertem-se enquanto bebem aquilo que parecem ser bebidas alcoólicas como a chefe de estado admitiu ter feito

Centenas de mulheres finlandeses estão a recorrer às redes sociais para demonstrar apoio à primeira-ministra, Sanna Marin. O movimento apelidado Solidarity With Sanna consiste em publicar pequenos vídeos em que surgem a dançar nos mais variados contextos, à semelhança das imagens  em que se podia ver a chefe do estado finlandês a divertir-se com amigos.

Perante a polémica que levou mesmo Sanna Marin a fazer um teste de despistagem de drogas, as mulheres finlandesas tentam agora banalizar o sucedido, mostrando que qualquer pessoa é livre de dançar ou se divertir com amigos, independentemente do cargo que ocupa.

Após a divulgação do vídeo que esteve na origem da polémica, foi a própria Sanna Marin a constatar o que para estas mulheres parece clado: “Dancei, cantei, celebrei, fiz coisas que são legais”. Nas filmagens, Sanna Marin aparece descontraída numa festa privada, na qual também participaram outras personalidades do país.

"Dancei, cantei, celebrei, fiz coisas que são legais”

“Não tenho nada a esconder. Dancei, cantei, celebrei, fiz coisas que são legais”, disse Sanna Marin, em conferência de imprensa. “Confiei que, como os vídeos são privados e filmados num evento privado, não seriam publicados”, acrescentou.

Os vídeos foram inicialmente partilhados no Instagram, tendo começado a ser difundidos pelo tabloide finlandês Iltalehti. O assunto tornou-se de tal forma viral que levou à reação da primeira-ministra, nesta quinta-feira.

Esta não foi a primeira-vez que a primeira-ministra apareceu num contexto pouco comum a um responsável político, depois de ter sido fotografada com um look festivaleiro este verão. Antes, em dezembro de 2021, foi vista numa discoteca de Helsínquia, no dia em que um ministro testou positivo à covid-19: estava só a divertir-se, mas acabou por pedir desculpa

"Agi de forma errada. Deveria ter tido mais cuidado nesta situação", disse Sanna Marin, em entrevista à emissora pública, Yle, esta quarta-feira à noite.

Numa publicação na rede social Facebook, a primeira-ministra finlandesa, de 36 anos, contou que decidiu não cancelar a saída à noite, no sábado passado, depois de saber que o ministro dos Negócios Estrangeiros, Pekka Haavisto, com quem esteve em contacto, testou positivo à covid-19 no mesmo dia.

Sanna Marin adiantou que estava num restaurante quando recebeu uma chamada telefónica do seu secretário de Estado a informá-la do resultado de Haavisto. "Ele disse que os ministros não ficariam em quarentena porque têm todos as duas doses das vacinas", acrescentou, na mesma publicação.

No entanto, a lei finlandesa permite que uma pessoa com as duas doses da vacina não precise de se isolar caso entre em contacto com alguém que testou positivo, mas este facto não foi suficiente para ser alvo de críticas dos seus adversários políticos.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados