As regras permitiam que a primeira-ministra da Finlândia fosse à discoteca, e ela foi. Agora é alvo de críticas

7 dez 2021, 22:55
Sanna Marin
Sanna Marin

Sanna Marin esteve em contacto com um caso positivo de covid-19 horas antes de sair à noite

PUB

A primeira-ministra finlandesa, Sanna Marin, está debaixo de fogo depois de ter ido sair à noite poucas horas depois de lhe ter sido comunicado que um membro do seu governo, a ministra dos Negócios Estrangeiros, Pekka Haavisto, tinha testado positivo para a covid-19.

Apesar de não ter quebrado as regras sanitárias do país, os partidos da oposição têm criticado o julgamento de Sanna Marin por não ter feito isolamento profilático de forma voluntária até que tivesse um teste com um resultado negativo.

PUB

A lei finlandesa permite que uma pessoa com as duas doses da vacina não precise de se isolar caso entre em contacto com alguém que testou positivo. Esse facto não foi suficiente para ser alvo de críticas dos seus adversários políticos.

“É claro que o seu comportamento não foi inteligente – foi irresponsável”, afirmou Mia Laiho, do Partido da Coligação Nacional.

A reação inicial de Marin foi reafirmar que cumpriu todas as regras sanitárias impostas no país, mas a forte resposta da opinião pública e as fotografias que vieram a público da primeira-ministra na discoteca no centro de Helsínquia, levaram a que a mudasse o discurso e viesse a público pedir desculpa.

PUB
PUB
PUB

“Eu devia ter tido um melhor julgamento e verificado as instruções que recebi. Peço desculpa por não ter compreendido isso”, afirmou a líder.

Recentemente, a popularidade de Sanna Marin tem vindo a cair nas sondagens. Apesar de as eleições parlamentares na Finlândia estarem agendadas para 2023, o Partido Social Democrata finlandês já se encontra atrás do Partido Coligação Nacional, chefiado por Petteri Orpo.

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Europa

Mais Europa

Patrocinados