Putin adverte que interesses russos “não são negociáveis”

23 fev, 08:16

Chefe de Estado da Rússia afirma que o país vai continuar a desenvolver armas de última geração

O presidente russo Vladimir Putin advertiu que os interesses do país “não são negociáveis”, apesar de garantir que a Rússia “está sempre aberta a um diálogo direto e honesto” sobre a crise na Ucrânia.

“O nosso país está sempre aberto a um diálogo direto e honesto, à procura por soluções diplomáticas para os problemas mais complexos. Mas os interesses da Rússia, a segurança dos nossos cidadãos, não são negociáveis para nós”, afirmou Putin esta quarta-feira, durante um discurso à nação, a propósito do feriado do Dia do Defensor da Pátria.

A via diplomática parece estar a esgotar-se, uma vez que o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, cancelou o encontro com o seu homólogo russo, Sergei Lavrov, marcado para esta quinta-feira, por considerar que a Rússia já invadiu a Ucrânia.

Durante o discurso, o presidente russo elogiou também as forças armadas do país, exaltando o seu “profissionalismo” e preparação para o combate e para a defesa dos interesses nacionais.

Putin afirmou, de igual modo, que a Rússia irá continuar a desenvolver armas de última geração, “incluindo hipersónicas e aquelas baseadas em novos princípios da física”, e que vai “expandir o uso de tecnologias digitais avançadas e elementos de inteligência artificial”.

“Estes complexos são verdadeiramente as armas do futuro, que aumentam significativamente o potencial de combate das nossas forças armadas”, afirmou o chefe de Estado da Rússia.

Na terça-feira, o parlamento russo aprovou, de forma unânime, o envio de “forças de manutenção de paz” para as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk, reconhecidas por Moscovo como independentes.

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados