Filha do ideólogo de Putin morre em explosão de carro armadilhado nos arredores de Moscovo

21 ago, 08:34

Imagens divulgadas pelas autoridades russas revelam que Aleksandr Dugin - filósofo ultranacionalista com fortes ligações a Putin - também estava no local no momento da explosão

A filha de um ideólogo russo que defende a anexação da Ucrânia pela Rússia foi morta num alegado ataque com carro-bomba nos arredores de Moscovo na noite de sábado, avançaram investigadores do governo russo este domingo.

Segundo noticia a agência Reuters, que cita o comunicado das autoridades russas, Darya Dugina, filha do ideólogo Aleksandr Dugin, foi morta após um suposto dispositivo explosivo ter sido detonado no Toyota Land Cruiser em que viajava.

As imagens que acompanham a declaração mostram os investigadores a recolher detritos e fragmentos do local onde a explosão aconteceu.

As autoridades russas, que descreveram Darya Dugina como jornalista e especialista em política, adiantaram que abriram uma investigação por homicídio e farão exames forenses para tentar determinar exatamente o que aconteceu.

Importa referir que Aleksandr Dugin, pai de Darya, há muito que defende a unificação dos territórios de língua russa e outros num vasto novo império russo. O filósofo, com fortes ligações ao presidente russo - e até apelidado como o "cérebro de Putin" - quer que esse império inclua a Ucrânia, onde as forças russas estão atualmente a realizar o que Moscovo chama de "operação militar especial" para desmilitarizar a Ucrânia.

As fontes ouvidas pelos órgãos de comunicação russos afirmam que Aleksandr Dugin deveria seguir no carro, mas fez uma alteração de planos instantes antes da viagem. Os dois regressavam do festival familiar "Tradição".

Darya Dugina, de 30 anos, apoiava publicamente as ideias do pai e chegou a ir à televisão estatal russa defender a invasão da Rússia à Ucrânia

Europa

Mais Europa

Patrocinados