Guerra na Ucrânia: Marcelo diz que "ficaram oficiais" para acompanharem portugueses no país

24 fev 2022, 16:08

Há cerca de 200 cidadãos portugueses que "estão a sair ou já saíram do território ucraniano"

Marcelo Rebelo de Sousa disse que "ficaram oficiais" para acompanharem os portugueses  que estão na Ucrânia. O Presidente da República falou esta quinta-feira sobre os últimos ataques a que a Ucrânia tem sido alvo por parte da Rússia.

"Infelizmente, os últimos acontecimentos só me tem permitido confirmar merecer essa condenação veemente pela violação ostensiva e flagrante do direito internacional e ao mesmo tempo o apoio ao apelo de António Guterres. Um apelo muito forte, talvez o apelo mais forte que António Guterres fez como Secretário-Geral da ONU até hoje, no sentido de haver a cessação desta conduta da federação russa", começou por dizer Marcelo, prestando solidariedade e apoio para com o "povo ucraniano", que começou a ver o território ser invadido e atacado desde a madrugada desta quinta-feira.

"Sinto-me orgulhoso de ser Presidente da República portuguesa, tendo em Portugal uma comunidade excecional como é a ucraniana".

O Ministro dos Negócios Estrangeiros tem acompanhado, de forma particularmente atenta, a situação dos cerca de 200 cidadãos portugueses (a grande maioria com dupla nacionalidade) que "estão a sair ou já saíram do território ucraniano", adiantou o Presidente. Cerca de 40 cidadãos não têm dupla nacionalidade.

"Não só o embaixador português foi o penúltimo a sair de Kiev”, como “ficaram oficiais portugueses” para encaminhar os portugueses que “residiam ou se encontravam em território ucraniano”.

Relacionados

Presidente Marcelo

Mais Presidente Marcelo

Mais Lidas

Patrocinados