Rússia dá por terminada operação antiterrorista no Daguestão. Morreram, pelo menos, 19 pessoas

Agência Lusa , DCT
24 jun, 09:28
Ataque no Daguestão (Associated Press)

Sergei Melikov disse que homens armados abriram fogo no domingo contra duas igrejas ortodoxas, uma sinagoga e uma esquadra da polícia em duas cidades da região do sul da Rússia, de acordo com um vídeo publicado online.

O Comité Antiterrorista da Rússia (NAC, na sigla em russo) disse ter terminado a operação para pôr fim aos ataques armados que causaram 19 mortos na região do Daguestão.

“Devido à neutralização das ameaças à vida e à saúde dos cidadãos, foi decidido pôr fim à operação antiterrorista” no Daguestão a partir das 06:15 (hora de Lisboa), disse o NAC, citado por agências de notícias russas.

Pelo menos 15 agentes das forças de segurança e vários civis, incluindo um padre ortodoxo, foram mortos por militantes armados no Daguestão, disse o governador desta república russa predominantemente muçulmana do Cáucaso. A Reuters dá conta de um total de 19 vítimas mortais confirmadas, mas sem adiantar a identidade de cada.

Sergei Melikov disse que homens armados abriram fogo no domingo contra duas igrejas ortodoxas, uma sinagoga e uma esquadra da polícia em duas cidades da região do sul da Rússia, de acordo com um vídeo publicado online.

O NAC descreveu como atos terroristas os ataques no Daguestão, uma república com um historial de militância armada.

Melikov decretou três dias de luto na região e disse que seis militantes armados foram mortos.

Horas antes, a polícia russa anunciou ter abatido quatro alegados terroristas em Makhachkala, capital da região, três dos quais foram identificados como filhos e sobrinho do chefe do principal distrito de Makhachkala, Sergokali, que também foi detido.

Entretanto, na cidade costeira de Derbent, a cerca de 110 quilómetros a sul de Makhachkala, uma igreja e uma sinagoga também foram atacadas.

O chefe de polícia da cidade de Ogni, que se deslocou para apoiar colegas na vizinha Derbent, foi atingido mortalmente, disse o Ministério do Interior da Rússia.

Entre as vítimas mortais estão ainda pelo menos dois civis, o padre da igreja de Derbent e o guarda da igreja de Makhachkala.

De acordo com as autoridades policiais, o número de feridos subiu para 25 pessoas.

A polícia russa tinha bloqueado no domingo todos os acessos à cidade de Makhachkala, onde tenta capturar os autores dos ataques.

“As entradas de Makhachkala foram bloqueadas pela polícia. Segundo informações disponíveis, os cúmplices dos agressores podem tentar fugir e deixar a cidade”, disse o departamento de imprensa do Ministério do Interior do Daguestão, na plataforma de mensagens Telegram.

As autoridades do Daguestão declararam o regime de operações antiterroristas nos limites administrativos das cidades de Makhachkala e Derbent, ambas nas margens do mar Cáspio.

Os ataques às igrejas ocorreram no mesmo dia em que os ortodoxos russos celebram o Pentecostes.

O Daguestão é uma região russa predominantemente muçulmana vizinha da Chechénia e situada também perto da Geórgia e do Azerbaijão, onde as autoridades anunciam regularmente a realização de operações antiterroristas.
 

Europa

Mais Europa

Patrocinados