"Triste exemplo que dá a quem não é sério no mundo empresarial": Pedro Nuno Santos arrasa Rui Rio, "um homem que não pode ser PM"

CNN Portugal , MJC
14 jan, 20:43
Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos
Ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos

Ministro das Infraestruturas responde a Rui Rio, que disse que, se estivesse no executivo, teria fechado a TAP para criar uma empresa nova

PUB

"Um candidato a primeiro-ministro assume publicamente fazer aquilo que, infelizmente, muitos empresários em Portugal sofrem na pele: um devedor encerra a sua empresa, não paga o que deve aos credores e abre outra empresa ao lado, com outro nome, para continuar o mesmo negócio." É assim que Pedro Nuno Santos resume a posição de Rui Rio em relação à TAP.

O líder do PSD disse que se tivesse sido ele a decidir teria fechado a TAP e criado uma empresa nova. O ministro das Infraestruturas e da Habitação respondeu nas redes sociais garantindo que este é um "triste exemplo que dá a quem não é sério no mundo empresarial" e concluindo: "Um homem que pensa assim não pode ser primeiro-ministro".

PUB

"Finalmente, Rui Rio veio a jogo dizer o que faria se fosse ele o primeiro-ministro quando a TAP precisou de auxílio público para sobreviver por causa da pandemia - deixava a empresa falir e abria outra ao lado. Finalmente, Rui Rio sai da posição confortável da crítica, em que esteve nos últimos dois anos, e assume uma posição", começa por dizer Pedro Nuno Santos, numa longa publicação nas redes sociais.

PUB
PUB
PUB

"Portanto, a solução de Rui Rio é que a TAP, empresa com 50% de capital público, 'enfiasse' um calote a todos os credores, incluindo empresas portuguesas e cidadãos nacionais que tinham obrigações da própria TAP", surpreende-se o ministro. Além disso, Pedro Nuno Santos vai buscar o exemplo da Alitália para mostrar a Rio como a criação de uma nova empresa (no caso, a ITA) sairia muito mais cara. E, assim, conclui: "Cumprimento Rui Rio por ter tido a audácia de dizer o que teria feito como primeiro-ministro, mas fica claro o seu nível de impreparação para o cargo".

Relacionados

Uma newsletter para conversarmos - Decisão 22

Envie-nos as suas questões e sugestões de temas, responderemos pela caixa do correio

Saiba mais

Governo

Mais Governo

Patrocinados