É verdade que os espanhóis pagam menos do que os portugueses para viajar na TAP?

14 jan, 14:29
Rui Rio no debate com António Costa (Lusa/ Pedro Pina)

Rui Rio diz que é "revoltante": viajar na TAP para São Francisco é 73% mais barato partindo de Madrid do que no mesmo voo de Lisboa. Isso é verdade? E acontece noutros voos da TAP? E ao contrário, acontece com voos de companhias estrangeiras? Fomos comparar preços. E procurar explicações

“Inaceitável”, “revoltante” e “gravíssimo”. Estes foram três adjetivos que Rui Rio utilizou para descrever os preços da TAP, no debate eleitoral desta quinta-feira com António Costa. O presidente do PSD levava consigo uma comparação de preços para o mesmo voo da TAP para São Francisco, nos Estados Unidos: Um partindo de Lisboa e o outro de Madrid com escala na capital portuguesa.

“Sabe quanto paga o espanhol?”, perguntou Rio. “O espanhol paga 190 euros por ir de Madrid a São Francisco com escala em Lisboa. Quanto paga o português se apanhar o mesmo avião que vem de Madrid para Lisboa? Paga 697 euros”.

O voo é assim 73% mais barato partindo do Madrid. Ou, de outra forma, é mais de três vezes e meia mais caro partindo de Lisboa. Usando o argumento para criticar a intervenção do governo de António Costa, Rio disparou: a TAP “é companhia de bandeira, mas é companhia de bandeira espanhola ou de outro país qualquer. Quem pagamos somos nós”. 

O voo é mesmo caro a partir de Lisboa do que de Madrid?

A CNN Portugal analisou os voos em questão: Rui Rio recorreu ao site Sky Scanner para comparar os custos entre uma viagem de ida e volta da TAP para São Francisco entre os dias 24 e 31 de janeiro de 2022.  A primeira viagem saía de Lisboa às 9:55 horas e chegava à cidade da Califórnia às 14:55 horas do dia 24. No regresso, um voo direto com saída de São Francisco às 16:40 do dia 31 de janeiro e chegada ao aeroporto Humberto Delgado na manhã seguinte. Por estes dois voos, um português paga, de facto, 697 euros. Mais 507 euros do que um espanhol que apanhe os mesmos voos em Madrid, com escala em Lisboa.

O exemplo apresentado por Rui Rio não é uma excepção. A CNN Portugal fez várias simulações de preços, para datas diferentes, e em todas viajando a partir de Madrid com uma escala em Lisboa, pela TAP, fica substancialmente mais barato do que viajando diretamente de Lisboa.

 

Porque é que os voos são mais caros?

Questionada pela CNN Portugal, a TAP respondeu com uma explicação genérica: os preços são “determinados pela lei da oferta e da procura”, destacando a necessidade da companhia se posicionar perante “uma forte concorrência na oferta de voos de qualquer aeroporto da Europa para os EUA”.

“Para a TAP atrair passageiros que desejam voar entre Madrid ou Barcelona e um destino nos EUA - o exemplo dado, mas válido para quase todos os casos - deve ter um preço que seja competitivo com a oferta de companhias aéreas que operam voos directos na mesma rota, ou com uma escala em qualquer outro hub", respondeu a empresa.

"Esta é uma política de preços comum à maioria das companhias aéreas”, argumenta ainda a TAP, acrescentando que os voos diretos “têm sempre uma maior procura do que os voos com escalas”. Aqui, afirma a TAP, aplica-se a lei da oferta e da procura, já que os voos com escalas “são um produto mais demorado, menos confortável e pior”.

 

Só acontece para São Francisco?

Não. A CNN Portugal fez várias simulações para outros destinos da TAP e verifica-se o mesmo padrão.

No caso de um voo de ida e volta da TAP para São Paulo, entre os dias 4 de julho e 11 de julho, a diferença de preços é de mais do dobro (138%): quem saia de Madrid, passe por Lisboa, chegue ao Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos, e faça o mesmo caminho para regressar, paga 498 euros. Quem aproveite o voo direto de Lisboa paga 1.187 euros.

 

O mesmo caso acontece, por exemplo, com uma viagem da TAP de ida e volta para Nova Iorque. A diferença de um voo direto de Lisboa ou de um com escalas e origem em Madrid converte-se num aumento de 52 euros no preço total da viagem.

 

 

Outro exemplo. Uma viagem com ida a 15 de agosto para Toronto e com regresso no dia 19 do mesmo mês é 167 euros mais cara para um português que saia do aeroporto Humberto Delgado direto para o Aeroporto Internacional Pearson de Toronto, do que um espanhol que faça escala em Lisboa.

É só a TAP? Que preços cobram companhias estrangeiras?

Não é só a TAP que adopta esta política de preços. A CNN Portugal fez simulações para outras companhias aéreas estrangeiras, verificando-se que também elas cobram mais por voos diretos dos seus "hubs" para destinos internacionais do que cobram a quem venha de outro país fazendo escala.

Um voo da espanhola Ibéria, de ida e volta, direto de Madrid para Buenos Aires, na Argentina, é 171 euros mais caro do que sai a um português que parta de Lisboa para apanhar o mesmo voo.

Situação idêntica para um voo de ida e volta direto da Lufthansa de Frankfurt para Hong Kong em julho. Se o passageiro sair de Lisboa, fizer escala na cidade alemã e seguir para o Aeroporto Internacional de Hong Kong, acaba por pagar menos 94 euros por mais cerca de seis horas de viagem.

Os casos apontados exemplificam aquilo que fontes de companhias áreas apontam como padrão: voos diretos são em regra mais caros do que voos com escala. 

Sim, voar de Portugal diretamente para São Francisco é mais caro do que partindo de Madrid para apanhar o mesmo voo. Sim, isto acontece com outros voos da TAP. Sim, isto acontece com outras companhias aéreas estrangeiras na situação inversa. O padrão é que voos diretos são mais caros do que voos com escala. Sobretudo quando partem dia “hubs” (aeroportos de base) das companhias aéreas.

Factos Primeiro

Mais Factos Primeiro

Patrocinados