Jovem rouba cabos de fibra ótica em Espanha e paralisa comboio de alta velocidade

CNN Portugal , FMC
8 ago, 16:10
Comboios em Espanha ficam paralisados depois de jovem roubar cabos de fibra ótica (	Europa Press News/ Getty)

A circulação foi, entretanto, restabelecida, ainda que com alguns constrangimentos

A circulação dos comboios de alta velocidade que liga as duas grandes cidades espanholas - Madrid e Barcelona - esteve paralisada mais de cinco horas depois de terem sido roubados cabos de fibra ótica das vias.

O crime ocorreu esta madrugada, conforme indica o jornal espanhol El País. A Adif, a entidade que administra as infraestruturas ferroviárias de Espanha reportou que, pelas 02:30, foram detetados problemas nas comunicações, sinalizações, sistemas de controlo remoto de energia, detetores de queda de objetos e outros dispositivos de segurança entre L'Arboç e Figueres-Vilafant.

Como tal, técnicos deslocaram-se aos mais diversos pontos do percurso entre L'Arboç e Figueres-Vilafant e identificaram que vários cabos de fibra ótica nas duas vias do troço estavam cortados. De acordo com o Twitter da empresa, estima-se que tenham sido roubados cerca de 600 metros de cabos.

Os Mossos d'Esquadra, polícia da Catalunha, apanharam de surpresa um jovem de 19 anos, suspeito do furto, perto das linhas de comboio, no município de Santa Oliva, na cidade de Tarragona e detiveram-no. O jovem, que ainda resistiu à detenção, está acusado de crimes de roubo, resistência e desobediência aos agentes da polícia. De acordo com a publicação no Twitter, não está descartada a hipótese de outros envolvidos.

O crime levou a enchentes nas diversas estações de comboios por causa dos atrasos e suspensões de comboios. Entre os que procuravam uns dias de férias e os que viajavam em trabalho, foram vários os passageiros que recorreram a alternativas ou que estiveram horas à espera.

Numa publicação no Twitter, a operadora comunicou que o serviço estava, passadas mais de cinco horas, “gradualmente” restabelecido, apesar de ainda existirem “atrasos significativos” devido a "restrições de velocidade, uma vez que os sistemas não estão totalmente normalizados".   

Relacionados

Europa

Mais Europa

Patrocinados