"As pessoas não precisam de ter um sofá para estar bem num festival". O Rock in Rio Lisboa voltou e a febre dos brindes também

25 jun, 22:19

Porta-chaves, peluches, capas para a chuva e ainda os míticos sofás vermelhos. São muitos os brindes na "cidade do rock", que também quer ser amiga do ambiente. Em declarações à CNN Portugal, fonte da Associação Zero diz que os "brindes são para acabar", mas o festival garante que há preocupações ecológicas na escolha dos mesmos

Mal se passa o pórtico azul que dá acesso ao recinto do Rock in Rio Lisboa, situado no Parque da Bela Vista, basta estender a mão para apanhar o primeiro brinde. Os promotores das diversas marcas, estrategicamente colocados, entregam aos festivaleiros "madrugadores" brindes para todos os gostos: panamás com o símbolo da Galp, peluches do Sapo, fitas da Tranquilidade para segurar os copos que este ano são reutilizáveis (mas não todos).

Passada a entrada, há quem corra para a frente de palco ou na direção oposta. É que a meio do parque, do lado esquerdo de quem está de costas para o palco, está o stand da Vodafone de onde saem os míticos sofás vermelhos e em menos de nada forma-se uma fila.

Há quem consiga o sofá em dez minutos, mas há também quem esteja 45 minutos na fila para conseguir o puff vermelho de plástico (e que no primeiro dia foi utilizado por muitos como guarda-chuva, depois furado e abandonado no chão do recinto) que mais tarde deverá levar para casa.

"É a primeira vez que venho ao Rock in Rio e estou à espera do sofazinho há 20 minutos que é para descansar e ver o resto. [Quando acabar o festival] Vou levar o sofá para casa e dar às minhas filhas", afirma Paula Costa que veio de Portimão para ver Duran Duran.

Já Alessandra esteve 40 minutos na fila e ainda tinha mais alguns de espera quando falou com a CNN Portugal.

"Vim no domingo passado e, à noite, a relva ficou muito fria. E como eu estava mais aqui atrás, para ter uma visão melhor, acho que é mais confortável [ter um sofá]", contou, acrescentando que vai levar o sofá para colocar no jardim de casa.

Mas se há quem queira o sofá para ver os concertos mais confortável, há quem fique na fila mais de meia hora para conseguir sofás para esvaziar e levar para casa. Foi o caso de Tiago, Ana, Dora e Anabela, que vieram de Queijas, em Oeiras.

"Chegámos cedo e não estivemos uma hora na fila. Viemos buscar com a ideia de levar para casa, porque é muito difícil andar com isto cheio na mão", afirmam enquanto esvaziam os sofás.

Os brindes e o ambiente

Numa altura em que a preocupação ambiental aumenta, em que o festival aposta em copos reciclados com um custo de dois euros, e afirma que 100% dos resíduos do festival são reciclados e que não vai ser enviado qualquer resíduo para aterro, será a distribuição de plástico a escolha mais acertada?

Em entrevista à CNN Portugal, Susana Fonseca, vice-presidente da Associação Zero, afirma que a Zero não apoia "a distribuição nem desse nem de outros brindes" até porque considera que "as pessoas não precisam de ter um sofá para estar bem num festival".

"Aquilo que nós defendemos é que os brindes são para acabar, porque a maioria dos brindes são produtos desnecessários, que as pessoas podem viver muito bem sem eles e que, passada uma ou duas utilizações, a maioria das pessoas deixa de os usar. Um sofá insuflável não é um produto de longa duração e é um produto sem o qual as pessoas podem viver bem", afirma.

Para a investigadora, "a ideia de que estamos sempre a produzir este tipo de produtos de pouca utilidade, com vida curta, com durabilidade curta, obviamente, é insustentável".

"Há muitos anos que há festivais e as pessoas divertem-se imenso sem este tipo de material à disposição. Portanto, enquanto sociedade, cada vez mais temos de refletir sobre o uso necessário de recursos. É ou não um recurso necessário? Diria que a resposta é claramente que não. As pessoas não precisam de ter um sofá para estar bem num festival. Aliás, o ambiente de festival é de convívio, não há necessidade de estar a utilizar estes recursos".

Um dos brindes mais procurados

Contactada pela CNN Portugal, fonte oficial da Vodafone Portugal afirma que os sofás vermelhos "são um dos brindes mais procurados e apreciados pelo público do Rock in Rio nesta e nas edições anteriores" e que é a reutilização que lhes é dada depois do festival, "noutros locais e ambientes", que "contribui de forma decisiva para o interesse do público".

"Esta mesma reutilização tem sido promovida pela Vodafone no recinto. No local de distribuição, está afixado um apelo aos participantes nesse sentido. Tendo em conta o interesse demonstrado pelos visitantes, é de esperar que a reutilização intensiva aconteça novamente, estendendo ao máximo a vida útil do sofá", afirma fonte oficial da Vodafone Portugal.

No mesmo apelo, é pedido a quem recebe o sofá que não o "abandone em qualquer lugar" e que o coloque num contentor para que possa ser recolhido pelo sistema de limpeza.

Placa a apelar à reutilização do sofá colocada no stand da Vodafone no Rock in Rio Lisboa

Organização assegura que sofás não se transformam em lixo

À CNN Portugal, fonte oficial do Rock in Rio Lisboa explica que os sofás distribuídos no festival não se transformam em lixo caso sejam abandonados no recinto, mas são "reutilizados pelos serviços da Câmara Municipal de Lisboa".

"Não viram lixo de todo", garante, corroborando a política de lixo zero no festival de Lisboa apresentada no site oficial.

Metas de sustentabilidade apresentadas no site do Rock in Rio Lisboa

Segundo a mesma fonte, quando o tema são os brindes, o festival tem "uma política para a aprovação" que começa por avaliar se estes são úteis e se terão utilidade fora daquele contexto, tendo ainda a preocupação de que sejam feitos de materiais "reutilizados, reciclados ou recicláveis".

"Mas entendemos que muitos dos brindes ainda não existem no mercado numa versão mais sustentável em termos de fabrico e origem, e por isso primamos pela sua reutilização", como será o caso dos sofás.

Para Susana Fonseca, vice-presidente da Associação Zero, atualmente "é importante começar cada vez mais a questionar os usos" de materiais e ter em conta "outros 'R's" para além de "Reduzir, Reutilizar e Reciclar".

"É importante percebermos que os indicadores ambientais, tal como estamos neste momento, mostram uma situação muito grave e não temos melhorado nos últimos anos de forma significativa. Na história dos resíduos fala-se muito dos três 'R's mas agora fala-se de outros e um dos principais é Recusar e Repensar. E mesmo as marcas e os festivais, todos nós, temos de questionar a necessidade de determinado consumo. O consumo de brindes não é necessário", afirma.

A Associação Zero defende mesmo que a sociedade "tem de começar a perceber que os recursos naturais são escassos e que têm de ser utilizados para fins nobres, mesmo que sejam materiais reciclados".

Úteis ou inúteis? Avalie

Veja uma lista dos brindes disponíveis na edição deste ano do Rock in Rio: 

  • Vodafone - sofá vermelho e “roda Happy” que permite ganhar smartphones OPPO 5G, smartwatches, colunas JBL, earpods, mochilas, sweatshirts, entre outros
  • Sapo - saco de pano, fita de telemóvel, peluches
  • Galp - Panamás, coroa de flores, saia brilhante, capa para a chuva
  • Ibis - pulseiras, fita para o telemóvel e porta-chaves. Há ainda uma estadia a sorteio
  • Gato Preto - bolsa de cintura e lenço com gatos
  • Licor Beirão - fita porta-chaves, saco de pano, lenço multiusos
  • Benfica - pinturas grátis
  • Clarins - aconselhamento skin care, amostras, acessórios
  • Smile.up - amostra pasta dos dentes, fita telemovel, leque, bolhas de sabão
  • Multióticas - fita para os óculos, binóculos
  • Ucal - leque, bolsa telemóvel, fita, mochila, maquilhagem glitter
  • Pisca-pisca - ioiôs, carregador de isqueiro, lenço
  • Vaca que ri - (mediante jogo do twist) saco de pano, lenço ou queijinhos
  • Lusíadas - saco depano, lenço, borrifador
  • CP - popsockets, fitas de telemóvel, chupa-chupas e viagens de comboio (mediante sorteio)
  • Tranquilidade - fita para copo
  • Oppo - fio de telemóvel e um saco de pano
  • Axe - Gel de banho
  • Herbal Essences - spray para as pontas do cabelo
  • Fula - pipocas (em copo de plástico reutilizável) e uma capa transparente para o telemóvel
  • Oliveira da Serra - saco de pano
  • Control - preservativos
  • Babybel - carteira de moedas
  • Lanidor - leques
  • Licor Beirão - gorros, fitas porta-chve, sacos de pano e sacos de pano com toalha
  • Vénus - tatuagens temporárias
  • Gilete - creme hidratante para homem
  • L'oreal - saco de pano, porta-copos, amostra de máscara e penteados
  • Superpets - peluche, crachá, pulseiras, convites para o cinema e figurinos
  • Hyunday - maquilhagem e pulseiras

Música

Mais Música

Patrocinados