Vestiu-se de mulher para se misturar na multidão e tinha as armas legalizadas. Robert Crimo, o jovem de 21 anos que atirou a matar

5 jul, 21:18
Robert "Bobby" E. Crimo III (Direitos Reservados/ Youtube)

Norte-americano é suspeito de matar seis pessoas a tiro durante um desfile nas comemorações do 4 de Julho em Highland Park, no Illinois

Vestiu-se de mulher e fugiu do desfile após o tiroteio que vitimou seis pessoas em Chicago durante as comemorações do 4 de Julho, Dia da Independência nos EUA. Terá planeado este ataque ao longo de várias semanas, de acordo com as autoridades norte-americanas.

Identificado como Robert "Bobby" E. Crimo III, de 21 anos, foi detido pela polícia durante a tarde desta segunda-feira (00:50 em Lisboa) durante uma operação STOP, à qual ainda tentou escapar por alguns metros. A detenção aconteceu pouco tempo após as autoridades revelarem a fotografia do suspeito, assim como algumas características do veículo onde este seguia, que alegadamente pertence à sua mãe.

​Esta terça-feira, em conferência de imprensa, o vice-chefe Christopher Covelli, porta-voz do Gabinete do Xerife do Condado de Lake, avançou mais detalhes sobre o suspeito.

Robert E. Crimo III (Polícia Highland Park)

A polícia começou por revelar que Crimo fugiu do desfile após o tiroteio disfarçado de mulher, na tentativa de esconder alguns traços característicos, como as tatuagens faciais. As duas armas que tinha estavam legalizadas: uma delas terá sido utilizada no ataque e a outra foi encontrada no interior do carro onde fugiu.

O porta-voz do Gabinete do Xerife explicou que o disfarce fez com que o atirador conseguisse fugir do telhado e misturar-se com a multidão que tentava abandonar o local. Depois, o suspeito deslocou-se até casa da mãe, colocando-se em fuga de carro.

Christopher Covelli ainda não precisou em que consistia o traje do jovem, mas há relatos que dão conta de uma pessoa com cabelos compridos, o que poderá significar que Robert estava também a utilizar uma peruca.

 

Tiroteio em Chicago fez seis mortos e dezenas de feridos

Para o vice-chefe Covelli, o tiroteio parece ter sido cometido "de forma aleatória". “Não temos informações para, neste momento, sugerir que o tiroteio possa ter sido motivado por fatores raciais ou pela religião", disse, adiantando que os investigadores ainda estão a apurar pistas e analisar informações que possam ser "relevantes", dando como exemplo alguns vídeos e músicas publicados pelo jovem no YouTube e que já foram entretanto removidos daquela rede social.

Para além dos seis mortos, dezenas de pessoas ficaram feridas na sequência do tiroteio de Highland Park, no Illinois. Christopher Covelli adiantou ainda que tudo indica que Crimo estivesse a "agir sozinho".

Relacionados

E.U.A.

Mais E.U.A.

Patrocinados